Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Idade e menopausa aumentaram risco de AVC em Marisa Letícia

Descubra os fatores de risco e os principais tratamentos para o Acidente Vascular Cerebral (AVC) em mulheres acima de 65 anos de idade

(Foto: Antonio Lacerda/ EFE)

A hipertensão arterial, ou a pressão alta, é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), seja em homens ou mulheres. Nelas, porém, a frequência de um AVC pode ser maior a partir dos 65 anos de idade, como no caso da ex-primeira-dama Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, devido às alterações hormonais decorrentes da menopausa.

A cada ano no Brasil são identificados 285 mil casos de AVC, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A doença é a primeira causa de incapacidade no país, deixando sequelas em 50% dos sobreviventes.

A melhor forma de prevenção ao AVC se dá pela mudança nos hábitos de vida, conforme explica Max Rainer Novaes, médico neurologista do hospital Santa Cruz. “Tanto para homens quanto para mulheres, a melhora na alimentação, evitar embutidos, gordura em excesso, sal em excesso e incluir 30 minutos de atividade física diariamente são as principais medidas”, explica.

Com relação aos exercícios, Novaes diz que não há um tipo específico que traga resultados melhores, mas a intensidade da prática pode impactar positivamente ou negativamente na prevenção ao AVC. “Como profilaxia, é recomendada uma atividade física leve a moderada. Exercícios mais intensos podem predispor a enfartes, porque há uma liberação exagerada da adrenalina, que pode aumentar o risco para quem tiver uma predisposição. Uma caminhada simples é bem melhor, mais eficaz e seguro que exercícios mais intensos”, alerta.

A conexão perigosa entre a enxaqueca com aura – dor de cabeça intensa precedida por distúrbios visuais, como manchas brilhantes e visão borrada, ou formigamentos nas pernas e braços –e o acidente vascular cerebral (AVC) não é novidade para a comunidade médica internacional, mas muitas pessoas ainda ignoram que essa dor pode ser um sério fator de risco. De acordo com pesquisas, quem tem crises de enxaqueca com aura apresenta até três vezes mais chances de sofrer um AVC.

Mulheres com esse tipo de problema e que fazem uso de anticoncepcional oral são ainda mais vulneráveis. “O anticoncepcional reduz as proteínas no sangue que protegem do derrame. Mas isso não acontece em toda mulher que usa anticoncepcional. É a exceção da exceção, mas é preciso tomar cuidado, obviamente”, comenta o neurologista Élcio Juliato Piovesan, do Hospital de Clínicas de Curitiba.

Sinais de alerta

Fique atento ao início súbito de qualquer um dos sintomas, de acordo com informações da Rede Brasil AVC:

– Fraqueza ou formigamento no rosto, braço ou perna, especialmente de um lado do corpo;

– Confusão, alteração da fala ou na compreensão;

– Alteração na visão, em um ou nos dois olhos;

– Alteração no equilíbrio, coordenação, tontura ou alteração no andar;

– Dor de cabeça súbita, intensa e sem causa aparente.

 

8 recomendações para você

Deixe seu comentário