i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde e Bem-Estar

Cáries persistem mesmo entre idosos

Com menos perdas dentárias, idosos devem se preocupar com implantes isolados e aumento de cáries

  • PorDaniel Batistella
  • 27/11/2015 19:00
Cáries persistem mesmo entre idosos
| Foto:

O aumento no número de idosos no Brasil tem sido acompanhado pela maior conscientização sobre a própria saúde bucal. Chegando à terceira idade com maior número de dentes naturais na boca do que idosos de gerações anteriores, a natureza dos problemas a serem solucionados foi alterada.

Se anteriormente tinha-se de lidar com a doença periodontal, relacionada à perda de dentes e que conduzia às próteses totais, hoje aumentou o número de implantes isolados, para reorganizar a estrutura dentária, e também o número de cáries nessa idade, causadas pela redução do fluxo salivar ocasionada pelo uso de medicamentos para tratar hipertensão e diabete, como explica Fernando Henrique Westphalen, professor do curso de Odontologia da PUCPR e doutor em Estomatologia.

Quando se trata de realizar um tratamento odontológico em idosos, é preciso ter cuidado redobrado com a condição sistêmica, por serem mais sensíveis do que os mais novos. A doença periodontal (infecção e inflamação da gengiva) tem o mesmo nível de importância como fator de risco para doença cardiovascular que o fumo, o colesterol alto e a hipertensão arterial. E também se relaciona com a diabete em uma via de mão dupla. “Enquanto a infecção de origem bucal dificulta o controle glicêmico, a degeneração dos vasos sanguíneos causada pela diabete dificulta o combate a infecção periodontal e reparo das lesões”, diz João Rodrigo Sarot, professor de Odontologia Restauradora da UFPR.

Aos que ainda precisam recorrer a próteses dentárias, quando bem indicadas elas ajudam na mastigação, estética e fonética dos idosos, o que contribui para a saúde geral e longevidade. “A saúde bucal é indispensável para o envelhecimento saudável, melhorando a autoestima e a qualidade de vida”, diz Therezinha Pastre, especialista em prótese dentária e Odontogeriatria. “Além disso, os idosos de hoje estão mais vaidosos e exigentes com a parte estética, procurando melhorar a aparência e a qualidade do convívio social”, diz ela.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.