O que é o retinol, a mais nova promessa antienvelhecimento do mercado da beleza

Segundo Murad Alam, presidente da Sociedade Americana de Cirurgia Dermatológica, o retinol é a medicação com mais evidências de eficácia para reduzir sinais visíveis do envelhecimento

O retinol tem sido anunciado como um dos tratamentos mais efetivos para aumentar o colágeno da pele. Foto: Bigstock

Há muito tempo que o retinol tem sido anunciado como um dos tratamentos mais efetivos para aumentar o colágeno da pele e, dessa forma, reduzir linhas de expressão e rugas, combater a acne e atenuar manchas, homogeneizando a pigmentação. Segundo Murad Alam, dermatologista de Chicago e presidente da Sociedade Americana de Cirurgia Dermatológica, ele é “a medicação tópica mais bem estudada e com mais evidências de eficácia para reduzir sinais visíveis do envelhecimento causado pela exposição ao sol”.

Embora os benefícios do retinol possam não ser uma novidade, o aumento de produtos associados a ele é. Conforme registrado pela empresa de pesquisa de mercado NPD, as vendas de itens contendo a substância tiveram um salto de 27 % em lojas de departamentos e de cosméticos nos Estados Unidos, como Sephora, Ulta e Blue Mercury, enquanto a categoria como um todo (ingredientes clínicos) teve um aumento de sete por cento.

>> Alimentos ou suplementos: como tomar o colágeno que retarda o envelhecimento

Mesmo assim, apesar da popularidade – ou talvez graças a ela –, produtos com retinol são confusos e podem ser difíceis de usar. Robin Shobin, fundadora e editora do Charlotte’s Book, portal on-line de beleza, afirmou receber mais perguntas sobre o retinol do que sobre qualquer outro ingrediente usado nos cuidados da pele. “Acho que isso é resultado de termos muita informação e desinformação por aí. E muitos tipos diferentes de produtos”, opinou Shobin.

A seguir, algumas das perguntas mais comuns sobre o retinol.

cada pele precisa cuidado viver bem gazeta do povo

Especialistas recomendam utilizar o retinol uma vez por semana e, a cada semana, aumentar um dia. Foto: Bigstock

Qual a diferença entre o retinol contido na formulação da minha marca preferida para cuidados com a pele e aquele prescrito na receita? Na embalagem diz que funciona da mesma maneira.

Ambos são derivados da vitamina A, mas as fórmulas prescritas são mais potentes. Estas incluem a tretinoína (vendida como Retin-A, Atralin e Renova), o tazaroteno (Tazorac) e o adapaleno (Differin), cuja venda sem prescrição foi aprovada em 2016 pela FDA (agência federal norte-americana responsável pelo controle de alimentos e remédios). Eles atuam ligando-se aos receptores de ácido retinoico localizados no DNA das células da pele, estimulando uma renovação mais veloz e prevenindo a produção de colagenase, uma enzima que causa a destruição do colágeno na pele. “O retinol dos produtos vendidos sem prescrição pode lhe dar o mesmo resultado dos prescritos; só vai levar mais tempo”, esclareceu Marnie Nussbaum, dermatologista de Manhattan e professora-assistente do Hospital Presbiteriano Cornell de Nova York.

A última vez que passei retinol, minha pele ficou muito irritada. Como posso evitar que isso aconteça novamente?

Quem usa pela primeira vez, normalmente, sente a pele seca, irritada e descascando, uma reação chamada de retinização. “É normal que a pele fique levemente vermelha e esfoliada”, afirmou Nussbaum.

Gerald Imber, cirurgião plástico e fundador da Youth Corridor Clinic, aconselha começar com uma pequena porção do produto contendo retinol. “As pessoas parecem pensar que, se um pouco é bom, muito é melhor. Irritação excessiva não é sinal de melhores resultados”, alertou Imber.

Da mesma forma, Shani Darden, esteticista famosa de Los Angeles, recomenda a seus clientes que comecem a utilizar o retinol uma vez por semana e, a cada semana, aumentem um dia. “Use com a frequência que sua pele tolerar”, completou Darden, que também recomenda o uso de um hidratante antes do retinol caso este esteja ressecando demais a pele. Susan Cox, dermatologista de Newport Beach, na Califórnia, instrui pacientes a diminuir o uso de outras composições na rotina que possam causar irritação, como ácido glicólico e vitamina C.

Tenho 20 anos. Sou nova demais para começar a usar retinol?

Vinte anos não é nova demais, defende Nussbaum, lembrando que o retinol pode “prevenir danos causados pelo sol, aumentar a renovação celular e reduzir o surgimento de acnes. É bom usar retinol à noite para proteger a pele de agressores externos, como o meio ambiente e poluentes, aos quais estamos expostos desde jovens”, justificou. A Higher Education Skincare, nova linha de produtos de beleza que tem Cox como dermatologista consultora e os consumidores millennials e da Geração Z como foco, comercializa o MBA, um sérum noturno com 0,5 por cento de retinol. Contudo, mulheres nessa faixa etária precisam saber que o retinol não é recomendado para quem esteja grávida ou amamentando. Robert Anolik, dermatologista de Manhattan e professor-assistente de clínica médica na Escola de Medicina da Universidade de Nova York, afirmou que existem evidências de riscos para o bebê, que pode nascer com defeitos, e para o feto, que pode morrer, quando o retinol (como o encontrado na medicação antiacne Accutane) for administrado em sua forma intravenosa ou oral.

Por que não posso usar o retinol durante o dia ou no sol?

O principal motivo, destaca Anolik, é o fato de os raios ultravioletas do sol anularem o efeito do retinol. “Tantas pessoas receiam uma reação tóxica ao sol, mas na verdade não existem provas de fotoalergias ou fototoxicidades relacionadas ao retinol”, argumentou, complementando que a pele pode ficar levemente mais sensível ao sol devido ao efeito esfoliante do retinol sobre a pele; portanto, usar um bom protetor solar é imprescindível.

Só gosto de usar produtos naturais. Existem alternativas ao retinol que ofereçam a mesma eficácia?

Possivelmente. O bakuchiol, antioxidante encontrado nas sementes da planta Psoralea corylifolia, tem se mostrado promissor. De acordo com um estudo publicado em fevereiro no “British Journal of Dermatology”, quando aplicado duas vezes por dia, um creme contendo 0,5 %o de bakuchiol foi tão eficaz na redução das rugas e da hiperpigmentação quanto uma aplicação diária noturna de um produto de farmácia contendo 0,5 % de retinol, além de ter escamado e ressecado menos a pele.

Assim como o retinol, o bakuchiol pode trazer riscos se usado durante a gravidez ou a amamentação. Macrene Alexiades, dermatologista de Manhattan e professora-associada de clínica médica na Escola de Medicina de Yale, explicou que, como o backuchiol é um antiandrógeno, ou bloqueador de testosterona, pode interferir na formação dos órgãos genitais masculinos no útero. “Eu não recomendaria. Provavelmente, a quantidade usada é bem pequena, mas você não quer se ver no papel de afirmar a segurança de uma substância e ter as pessoas colocando-a diretamente em contato com o feto”, ponderou Alexiades.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário