Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Conheça os vírus que continuam no corpo depois da doença

Organismos infecciosos podem voltar por conta da queda do sistema imunológico. Saiba como prevenir

A pessoa que teve varicela passa a ser portadora permanente do vírus, que pode voltar após os 60 anos. Foto: BigstockA pessoa que teve varicela passa a ser portadora permanente do vírus, que pode voltar após os 60 anos. Foto: Bigstock

Varicela, herpes, mononucleose e hepatites são alguns dos exemplos de doenças causadas por vírus que, após a cura da doença, permanecem no corpo. Uma vez que estes agentes infecciosos entram em contato com o organismo passam a compartilhar uma convivência permanente com o ser humano. Contudo, existe a possibilidade de, em outro momento, ocorrer a reincidência da enfermidade.

Entre os vírus da família da herpes, por exemplo, está o citomegalovírus, que se manifesta quando a imunidade está baixa, situação comum em pacientes que passam por transplantes. As reações no corpo são infecções secundárias que podem atingir o tubo digestivo ou causar pneumonite, caracterizada pela inflamação dos pulmões.

LEIA TAMBÉM

Conheça os principais cuidados com o coto umbilical

Veja mitos da tireoide que você precisa saber

Musculação na quarta idade: saiba os benefícios e cuidados

Infectologista e diretor do Hospital Oswaldo Cruz, em Curitiba, Alceu Fontana Pacheco explica que as herpes tipo 1 e 2, de boca e genital respectivamente, não dependem da imunidade para voltarem a se manifestar. A maioria das pessoas adquire e passa a conviver com o vírus e os sintomas podem reaparecer em qualquer momento que envolva estresse ou questões emocionais.

O médico salienta que o tratamento receitado, mesmo nas reincidências, é por meio de antivirais. Também chama a atenção a questão da herpes óssea, que ocasiona lesões nas terminações nervosas, podendo se manifestar a qualquer tempo e se caracterizando pela dor intensa.

De família

No caso da varicela, geralmente conhecemos alguém da família ou do ciclo de amizades que já teve a doença na infância. A pessoa afetada passa a ser portadora permanente do vírus, que pode voltar após os 60 anos. A orientação para prevenção é o acompanhamento médico para a manutenção de uma vida saudável e mais imune possível.

Em relação às hepatites do tipo A, B ou C, 90% dos pacientes que adquiriram as infecções continuam com o vírus no organismo. Ou seja, em outros momentos da vida, o agente infeccioso pode causar crises de mal-estar.

Em todos os casos, o ideal para prevenção de recaídas é manter os exames médicos em dia, ter o acompanhamento adequado e ficar atento às quedas de imunidade. No caso do aparecimento de sintomas que podem ser relacionados à ação dos vírus, a pessoa deve procurar um infectologista para obter as orientações corretas.

FIQUE ATENTO

Confira como agem os vírus que permanecem no corpo, mesmo após a cura da doença: 

  • Herpes – Infecção causada pelo vírus herpes humano (HSV 1 e 2) que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolhas juntas nos lábios ou genitais, mas pode aparecer em qualquer parte do corpo. É transmitida pelo contato direto com as lesões e pode permanecer latente no organismo.
  • Mononucleose – A mononucleose, popularmente conhecida como a “doença do beijo”, afeta mais de 90% da população. Entre os infectados, apenas metade deles irá desenvolver a doença, caracterizada por dor de garganta, febre alta e principalmente fadiga. Os sintomas geralmente desaparecem após duas semanas. Às vezes, a fadiga pode durar de seis meses a um ano.
  • Varicela – A varicela é uma doença infecciosa altamente contagiosa causada por um vírus (herpesvirus varicellae ou V.Z.). Ela afeta principalmente crianças menores de 10 anos. A transmissão pode ocorrer de uma pessoa para outra por espirros, tosse ou ao compartilhar alimentos ou objetos. A varicela pode levar a complicações graves, especialmente em adultos devido ao risco pulmonar, cerebral (encefalite) ou na pele.
  • Hepatite – Hepatite designa qualquer degeneração do fígado por causas diversas, sendo as mais frequentes as infecções pelos vírus tipo A, B e C. Os vírus atacam o fígado quando parasitam suas células para a sua reprodução. A hepatite A é transmitida por água e alimentos contaminados ou de uma pessoa para outra. Os vírus da hepatite tipo B e tipo C são transmitidos sobretudo por meio do sangue (contato sexual, por exemplo).

8 recomendações para você

Deixe seu comentário