Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Suplementos com nível de aminoácido abaixo do indicado podem prejudicar treinamentos. Foto: Bigstock.
Suplementos com nível de aminoácido abaixo do indicado podem prejudicar treinamentos. Foto: Bigstock.| Foto:

Testes realizados em laboratório pela associação Proteste em 12 marcas de suplementos alimentares com a fórmula BCAA (Aminoácidos de Cadeia Ramificada, na tradução para o português) revelaram que todos os produtos possuem, em alguma medida, alteração na quantidade de aminoácidos indicados no rótulo. Os testes também acusaram a presença de outras substâncias, mesmo que não indicadas no rótulo.

Suplementos alimentares com BCAA são formados por três aminoácidos (valina, isoleucina e leucina) e tem grande interesse por praticantes de exercícios físicos, em especial por aqueles que buscam hipertrofia, e quem é praticante de esportes que envolvam corridas.

As marcas analisadas pelo laboratório da Proteste foram: Atletica, Body Action, Dymatize Nutrition, Integralmédica, Max Titanium, Mid Powder, Muscle Pharma, New Millen, Optimum Nutrition Powder, Probiotica Powder, Universal Nutrition Stack e Vitafor.

BCAA é utilizado por quem tem como objetivo a hipertrofia e exercícios com corrida. Foto: Pixabay.
BCAA é utilizado por quem tem como objetivo a hipertrofia e exercícios com corrida. Foto: Pixabay.

Resultados dos testes

Os testes foram feitos para detectar a quantidade de cada um dos aminoácidos que fazem parte do BCAA. Duas marcas (Body Action e New Millen) apresentaram 20% a menos de leucina do que a quantidade descrita nos rótulos, sendo as marcas com maior variação negativa nesta substância. Já a marca Probiótica apresentou a maior variação positiva: 14% a mais de leucina.

No caso da isoleucina, os testes apontaram que a Body Action teve 26% a menos da substância e a marca New Millen apresentou 34% a menos, enquanto a marca Optimum Nutrition Powder teve 11% a mais da substância na composição.

Já sobre a substância valina, as marcas New Millen (31%) e Probiotica Powder (23%) foram as que tiveram menor quantidade da substância em relação ao informado no rótulo, enquanto a Optimum Nutrition Powder teve 19% a mais do que o informado no rótulo.

O resultado completo está disponível na página da Proteste na internet.

Consequências

Segundo a coordenadora de pós-graduação em Nutrição Esportiva da Universidade Positivo, Priscila Dabaghi, ingerir produtos com quantidade maior ou menos de aminoácidos não causam problemas de saúde.

Entretanto, como esses suplementos são procurados por quem quer melhorar a performance nos treinos, ganhar  massa muscular e evitar a perda de massa magra, ingerir quantidade abaixo do indicado pode interferir nos objetivos dos praticantes.

“A resposta que uma pessoa vai dar ao uso desse suplemento depende de diversos fatores, como alimentação, estágio de treinamento e condição de saúde. Se ela ingerir uma quantidade mais baixa do que o necessário, pode não responder ao tratamento. O produto que não tem a dosagem esperada é inerte no organismo”, explica.

Usar suplementos com quantidade abaixo do necessário pode interferir no resultado do treino. Foto: Visualhunt.
Usar suplementos com quantidade abaixo do necessário pode interferir no resultado do treino. Foto: Visualhunt.

Carboidratos

Os testes também indicaram a presença de carboidratos em algumas das marcas: Athletica, Muscle Pharma, Midway Powder, Vitafor, Max Titanium e New Millen. O instituto não apontou, entretanto, qual a quantidade da substância presente em cada uma das marcas.

Conforme a coordenadora de pós-graduação, a presença de carboidrato na mistura significa que o grau de pureza do produto é baixo, e pode interferir no resultado do treinamento de quem utiliza o suplemento. “Consequentemente, o produto não tem a quantidade de BCAA necessária para atingir a um determinado objetivo. Mais uma vez chegamos na questão da quantidade de aminoácido, que está abaixo do que deveria”, diz.

Consulta a um especialista

Além de os consumidores ficarem atentos aos suplementos que compram, Priscila recomenda que praticantes de exercícios físicos procurem a orientação de um profissional da área de saúde e de nutrição esportiva para seguirem uma dieta adequada em relação ao produto que precisam utilizar. “O profissional da área vai olhar o conjunto da alimentação da pessoa para indicar a dose certa do suplemento”, explica.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]