i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Turismo

Fica mais fácil para o brasileiro ir para China: visto mais rápido e por mais tempo

Prazo de validade dos vistos para a China passou de três meses para cinco anos. Serviços consulares devem emitir permissão em cinco dias úteis

  • PorRedação
  • [14/09/2017] [15:00]
Foto: Bigstock
Foto: Bigstock| Foto:

O Brasil e a China assinaram um acordo de facilitação de vistos para visitantes dos dois países na semana passada.

O documento foi publicado na última segunda-feira (11) no Diário Oficial da União e prevê um prazo de validade de até cinco anos para as permissões concedidas a brasileiros e chineses que viajam para turismo ou para visitar familiares. Antes, o prazo para a maioria dos vistos era de três meses.

O acordo também determina que as embaixadas e repartições consulares dos dois países se esforçarão para emitir os vistos em cinco dias úteis a partir da solicitação.

O documento começa a valer em 1.º de outubro.

Mercado chinês

As regras valem para viajantes dos dois países, mas o acordo mira principalmente nos turistas chineses. Com 135 milhões de viajantes em 2016, a China é a maior fonte de turistas internacionais no mundo desde 2012, segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT).

Os chineses também são os que mais gastam, à frente dos americanos, alemães, britânicos e franceses.

Pouco mais de 50 mil turistas chineses, no entanto, viajaram para o Brasil em 2016. O número é menor que o dado mais recente sobre visitantes brasileiros na China: em 2015, 93 mil turistas daqui visitaram o país asiático.

A OMT defende a facilitação de vistos como forma de estimular o turismo. Segundo a organização, a ligação entre políticas de facilitação e crescimento econômico por meio do turismo foi evidenciada por estudos em vários países do mundo.

Regras

O acordo assinado entre os governos chinês e brasileiro estabelece múltiplas entradas com período de estada de 90 dias, renováveis por até outros 90 dias, a cada 12 meses.

O Ministério do Turismo também credenciou 316 agências brasileiras para receberem turistas chineses em 2017, em cumprimento à legislação brasileira e a determinações do governo da China.

Serviço

O serviço consular chinês responsável por atender a solicitações dos paranaenses é o Consulado Geral da República Popular da China em São Paulo, que fica na Rua Estados Unidos, 1.071, Jardim América, na capital paulista. Além do estado de São Paulo e do Paraná, a unidade atende os pedidos do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

O atendimento ao público funciona de segunda a sexta, das 9h às 12h. Mais informações: (11) 3069-9877 e chinaconsul_sp_br@mfa.gov.cn.

 

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.