Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Um novo mercado de trabalho
| Foto: Unsplash

O mercado de trabalho está passando por uma transformação gigantesca, e isso também traz uma certa confusão na cabeça dos empresários e dos profissionais em busca de novas oportunidades. Porque não importa o tamanho da empresa, nem o que ela vende: a forma como muitas atividades são feitas mudaram.

E essas mudanças vão exigir tanto do empresariado quanto do poder público medidas que ajudem a recuperar os postos de trabalho perdidos durante a pandemia, assim como criar vagas para atender as necessidades recentes.

Impacto da pandemia nos empregos

Segundo a consultoria McKinsey, em países da África, Europa e nos Estados Unidos, a estimativa de pessoas altamente vulneráveis a demissões e reduções de renda é de cerca de um terço da força de trabalho dessas regiões.

E esse dado vai de encontro com a previsão da Organização Internacional do Trabalho, de que a pandemia do coronavírus poderia causar uma redução global no tempo de trabalho de quase 7%.

O que representa um total de quase 200 milhões de empregos em período integral que deixariam de existir caso a previsão da OIT se confirme.

Esse gráfico extraído do site mckinsey.com ajuda a ter uma ideia sobre os setores mais afetados.

Fonte: McKisney & Company
Fonte: McKisney & Company

Com todo esse índice de desemprego, não deve demorar muito para que diversos setores da economia comecem a sentir impactos, como a redução dos gastos pelos consumidores, que passam a procurar primeiro itens essenciais. E isso impacta diretamente diversas cadeias produtivas, levando a um grande período de dificuldades econômicas.

O que os pequenos negócios podem fazer

Por mais que as pequenas empresas sejam aquelas que mais sofrem com uma crise desse tamanho, são elas também que terão um papel crucial para a recuperação econômica em todas as partes do mundo.

E para isso existem algumas ações que podem ajudar os pequenos negócios a enfrentar essa turbulência.

1 – Apostar no reemprego

Já existe uma movimentação em diversos países para que as empresas tragam de volta os funcionários desligados em decorrência da paralisação das atividades.E essa pode ser uma boa solução, já que isso vai passar e as empresas vão ter que contratar novamente.

Isso vai ajudar inclusive a reduzir custos, já que um funcionário que a conhece a rotina e os processos do negócio demanda um investimento menor em treinamento, por exemplo.

2 – Melhorar a qualidade dos empregos

Os trabalhos vão precisar ser mais bem pensados para que as empresas consigam a agilidade necessária para passar pelas dificuldades que estão por vir.Além disso, atividades que não fazem muito sentido hoje devem ser substituídas por outras mais assertivas. Por isso a qualidade dos empregos também deve ser considerada e revista para manter o engajamento da equipe.

3 – Investir em qualificação

Você e seus funcionários terão que desenvolver novas habilidades para absorver as demandas que vão surgir daqui pra frente. Então, por mais difícil que a situação esteja, ficar parado esperando para ver o que acontece não é uma opção.

Fechamento

Por isso é tão importante manter a equipe, e você, focados para que o período seja menos doloroso, com mais aprendizado e lições úteis para os próximos anos, que sem dúvida, serão desafiadores para todos.

Na última semana, eu criei uma campanha nas redes sociais para divulgar algumas posições em aberto em algumas empresas, e junto a equipe da Innovaty Business Intelligence, resolvemos migrar essa iniciativa para um Canal no Telegram, onde diariamente serão divulgadas algumas vagas. Você, em busca de recolocação, é mais que bem vindo a participar, os detalhes e informações sobre como estão na minha página no LinkedIn – Camila Farani.

Até o próximo domingo, e lembre-se, desistir não é uma opção.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]