i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Concurseiros

Foto de perfil de Concurseiros
Ver perfil

Está na quarentena? Veja como iniciar a sua preparação para concursos

Conheça cinco etapas importantes para quem está começando na jornada de estudos para concursos públicos

  • PorThais Nunes Laskoski
  • 26/03/2020 19:30
A grande pergunta é: por onde começar?
A grande pergunta é: por onde começar?| Foto: Pixabay

Você está pensando em começar a sua jornada de concurseiro? Se a sua resposta foi sim, a quarentena forçada pelo Coronavírus é uma excelente oportunidade para colocar este projeto em prática, já que com tempo extra é possível coletar informações e estudar antes que a situação se acalme e os grandes editais sejam publicados.

É claro que há a parcela de pessimistas que acham que não vale a pena investir numa carreira pública diante de tanta instabilidade política. A questão é que um dia a crise vai passar, só não sabemos quando. É a velha história do copo meio cheio e meio vazio. Pessoas usarão a quarentena para descansar e pessoas usarão para investir. Estudar para concursos é um excelente investimento, pois quando os grandes editais começarem a ser publicados, quem estudou estará preparado para ser aprovado.

E tem mais: a quarentena não paralisou a máquina pública! Além do combate aos Coronavírus e a manutenção dos serviços públicos essenciais, há muitos editais de concursos e processos seletivos municipais e estaduais sendo abertos em todo o país (veja a lista em nosso guia de concursos).

Um bom exemplo disso é o Departamento Penitenciário Nacional, que na última terça-feira (24) divulgou o extrato de dispensa de licitação escolhendo o Cebraspe como organizadora do próximo concurso que terá 309 vagas de nível médio e superior. Com a definição da banca, a próxima fase da seleção será a publicação do edital, que deverá acontecer até o dia 30 de junho de 2020, prazo de seis meses contados da publicação da portaria que autorizou o concurso.

Sendo assim, para te ajudar nesse caminho, o blog Concurseiros pesquisou, em redes sociais, quais as dúvidas de quem, assim como você, decidiu engrenar nos estudos com foco na conquista de um cargo público. Veja abaixo as respostas para cinco questões que afligem os concurseiros iniciantes. E se ainda assim as dúvidas permanecerem, deixe nos comentários e responderemos você.

1 - Por onde começar?

Acredite, o começo não é estudar o programa de um edital. Antes dos estudos é necessário entender de governo, até mesmo para escolher a melhor carreira a seguir. Você pode achar que estar motivado a ter estabilidade e salário alto é um bom começo, mas, na prática, há pessoas que são aprovadas, tomam posse e poucos meses depois querem fazer um novo concurso porque não gostam do serviço prestado. Aventuraram-se na jornada de estudos sem compreender, por exemplo, que a União, cada estado, cada município e o Distrito Federal são pessoas jurídicas distintas e que, por meio das suas divisões (órgãos públicos) exercem atividades diferentes e oferecem aos seus servidores benefícios e direitos definidos em leis distintas (os chamados estatutos). Também é importante ressaltar que a União, cada estado, cada município e o Distrito Federal podem criar outras pessoas jurídicas governamentais, a chamada Administração Indireta, que engloba as autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista, o que traz outras opções de concursos e, consequentemente, de funções.

Também é importante saber que existe concurso para servidor público (regime estatutário), para empregado público (regime da CLT) e para funções temporárias, com direitos distintos entre si. Portanto, quando estiver diante da possibilidade de um concurso, gaste algumas horas estudando quais serviços são prestados por aquela instituição pública, quais são os benefícios de cada carreira, em qual cidade você irá exercer a função, quais serão as responsabilidades diárias e, também, se a seleção é para servidor, empregado ou temporário. Tais informações você encontra no edital de abertura e no site oficial do órgão em questão. Parece até perda de tempo, mas a compreensão da instituição te trará conforto para estudar, te ajudará a entender matérias de conhecimentos específicos para a prova e evitará surpresas após a posse.

2 - Vagas imediatas x cadastro de reserva

Em 2012 o Supremo Tribunal Federal proferiu uma decisão que se tornou uma espécie de norma para todos os concursos (federal, estadual, municipal ou distrital). Quem for aprovado dentro do número de vagas previstas no edital tem direito a nomeação. Já quem for aprovado além do número de vagas previstas no edital automaticamente está em cadastro de reserva e poderá (ou não) ser nomeado durante o prazo de validade. Muitos concursos abrem apenas para cadastro de reserva porque no momento do concurso a vaga não existe, mas ao longo da validade haverá posse por conta de cargos vagos por aposentadoria ou exoneração. Outra possibilidade é o órgão optar por não divulgar as vagas existentes, mesmo que as vagas existam no momento da publicação do edital. A verdade é que, em qualquer caso, concurso apenas para cadastro de reserva, no geral, não é ilegal e não, definitivamente não serve para arrecadar dinheiro, isso é teoria de conspiração. No caso de dúvida, é possível testar a credibilidade de um determinado órgão procurando as nomeações do concurso anterior.

3 - Preciso de quanto tempo de estudo por dia?

Você deve estudar todos os dias, especialmente para não esquecer o que já foi estudado, mas a quantidade de tempo é variável. A maioria dos aprovados garante que não é a quantidade de tempo que faz a diferença e sim, a qualidade do tempo. Estudar oito horas por dia pode ser ótimo no curto prazo, como na preparação rápida entre o edital e a prova. Porém, no médio prazo há um desgaste mental e físico que impede que o candidato mantenha o mesmo ritmo até o dia da prova.

O importante é manter a regularidade. Estudar todos os dias da semana intercalando as matérias do programa (um tema por dia), de forma organizada, registrando o que já foi estudado e fazendo questões pelo menos uma vez por semana.

4 - Como organizar os meus estudos?

Quando estiver estudando, apenas estude. Parece estranho, mas há candidatos que estudam muitas horas ao dia e pouco absorvem, porque durante o período estão com os pensamentos em outros assuntos, com o celular ligado, conectados as redes sociais e outras situações roubam a atenção. Também não deixe para decidir “o que estudar” no dia. Pelo menos uma vez por semana faça uma programação do que será estudado dia a dia. Para isso vale uma agenda, uma tabela ou um edital esquematizado. Reserve tempo para fazer questões conforme o item a seguir e jamais se esqueça do sono, da alimentação e dos exercícios, mesmo que seja apenas uma caminhada de vinte minutos ao dia. Um corpo doente dificulta a absorção de conteúdo pelo cérebro.

5 - Estudar teoria ou estudar questões?

Ambos são necessários, mas em momentos corretos. Sempre comece pela teoria, exceto matérias que dependem de resolução de questões para entender o procedimento, como a matemática. Saiba também quais questões resolver. Não importa muito a última prova daquele cargo, porque nem sempre é termômetro. Você precisa fazer questões da mesma organizadora que fará o concurso que você quer, e de provas ocorridas a menos de dezoito meses, já que o objetivo de resolver questões é justamente entender como aquela banca transforma a matéria estudada em questões de prova.

Se você está estudando para um concurso que ainda não tem organizadora definida, utilize questões de pelo menos quatro organizadoras. Sugiro escolher a Fundação Carlos Chagas (FCC), a Fundação Vunesp, o Cebraspe (antigo Cespe/UnB) e a Fundação Cesgranrio. Lembrando que alguns concursos usam a mesma organizadora faz anos, como os concursos de Auditor-Fiscal da Receita Federal que tradicionalmente escolhem a ESAF. Nestas situações você já pode direcionar as questões para uma determinada organizadora.

Veja outros concursos com inscrições abertas em todo o país |

Deixe abaixo seus comentários e sugestões de assuntos que você gostaria de ver aqui espaço Concurseiros. Acompanhe também os principais concursos do país na página da blogueira Thais Nunes no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.