Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O ministro da Defesa, Braga Netto, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, na Academia das Agulhas Negras. Teve quase um congestionamento aéreo.
O ministro da Defesa, Braga Netto, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, na Academia das Agulhas Negras. Teve quase um congestionamento aéreo.| Foto: Marcos Corrêa/PR

As despesas com diárias, passagens e deslocamentos de jatinhos para cerimônias de passagem de comando, formaturas e visitas oficiais de militares, somam R$ 1,6 milhão neste ano. Os deslocamentos dos chefes militares em jatinhos custaram mais R$ 1,3 milhão. Teve evento até no exterior. Visita oficial do ministro da Defesa a um centro de treinamento nos Estados Unidos, em aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), custou 330 mil. As visitas de “orientação técnica” à Comissão do Exército em Washington custaram mais R$ 914 mil. Nem a pandemia da Covid-19 parou as festas nos quartéis

A viagem do então ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva, general de exército, para visita oficial ao Centro de Treinamento em Fort Polk, em Alexandria, Luisiana (EUA), para participar do “vip day” da Operação Culminating, custou R$ 120 mil em diárias e passagens para seis militares. Mas teve mais despesas: o deslocamento do ministro ocorreu num jatinho da FAB, ao custo de 214 mil.

Numa das viagens de jatinhos da FAB para participar de cerimônias militares, houve quase um congestionamento aéreo. Em 14 de agosto, houve a formatura de oficiais da Academia Militar de Agulhas Negras (Aman), em Resende (RJ). O atual ministro da Defesa, Braga Netto, partiu em jatinho oficial para o local às 15h05. O comandante do Exército, Sérgio Nogueira de Oliveira, partiu às 16h25 – 1 hora e 20 minutos depois. E o presidente Jair Bolsonaro também esteve no mesmo evento, cada um no seu jatinho.

Foram feitas quatro visitas de orientação técnica à Comissão do Exército em Washington neste ano, em junho, setembro, outubro e novembro. Ao todo, viajaram 41 militares, incluindo cinco generais. O coronel Alessandro de Almeida Côrtes, recebeu R$ 33,4 mil em diárias e gastou R$ 27 mil com passagens. Apenas dois militares estiveram em duas missões. Aconteceram visitas de orientação técnica a outros países, como Egito, Emirados Árabes, Polônia e Itália, mas com a participação de dois ou três militares. O Exército não esclareceu qual o trabalho que foi executado na capital americana.

“Dubai Air Show”

O atual ministro da Defesa, general Braga Netto, acompanhou o presidente da República, Jair Bolsonaro, em novembro, na viagem oficial por ocasião da Exposição “Dubai Air Show”, em Dubai, nos Emirados Árabes. Essa missão saiu quase de graça: apenas R$ 600 de despesas extras. Mas as visitas oficiais e institucionais pelo país e mundo afora já deixaram despesas de R$ 820 mil com diárias e passagens neste ano. O levantamento trata das despesas do ministro da Defesa e dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica. Não estão incluídas despesas do presidente Bolsonaro com esses eventos. Elas somam mais de R$ 8 milhões durante todo o mandato.

A visita oficial do Ministério da Defesa ao exército italiano e instalações fabris, em Milão e Roma, de 23 a 31 de julho, custou R$ 160 mil. A equipe tinha seis integrantes, incluindo quatro generais. Mas a maior despesa foi do oficial superior Everton Pacheco – R$ 33,7 mil em diárias e R$ 13 mil com passagens.

A visita institucional ao Comando do Exército espanhol, nas cidades de Madri e Ilhas Canárias, “no Reino da Espanha”, no período de 1º a 9 de outubro, custou mais R$ 130 mil. A visita foi uma preparação para a Força Interina das Nações Unidas no Líbano.

O general Alan Elvis de Lima esteve em Linköping, na Suécia, em novembro, para coordenar e participar do evento de apresentação das quatro primeiras aeronaves Gripen, da Força Aérea Brasileira. O praça Eduardo da Silveira Martins esteve por uma semana em Lisboa, em “visita técnica” aos principais órgãos culturais do Exército de Portugal. A visita custou R$ 31 mil em diárias e R$ 15 mil em passagem aérea. Houve ainda visitas a Buenos Aires, Bogotá, Assunção e Washington.

Quanto custam as passagens de comando

As passagens de comando são as cerimônias mais prestigiadas nas Forças Armadas. É frequente a presença do presidente Bolsonaro. Os custos já superam os R$ 645 mil só em diárias e passagens aéreas.

As passagens mais prestigiadas são as dos Comandos Militares de todas as regiões. Mas há algumas menos concorridas. O ministro Braga Netto esteve, por exemplo, na transmissão do cargo de comandante-geral do Corpo de Fuzileiros Navais, em 14 de maio. O comandante do Exército esteve na passagem de comando da 13º Brigada de Infantaria Motorizada, em Cuiabá, no dia 17 de setembro.

Militares do Exército foram enviados também para cerimônias de passagem de comando em tiros de guerra de 10 cidades do interior de Minas Gerais. Para Lavras, Curvelo e Bom Despacho seguiram dois representantes do Exército, incluindo oficiais superiores.

Havia representantes do Exército na passagem de chefia da Comissão regional de Obras em Curitiba, na passagem da direção do Hospital de Guarnição de Marabá, na passagem de função de adjunto de Comando do Comando Militar do Leste e nas passagens de comando dos Colégios Militares de Manaus, Curitiba, Santa Maria (RS), Fortaleza, Campo Grande e Brasília.

Porta estandarte na formatura

Um oficial subalterno da Aeronáutica foi enviado para participar, como porta estandarte, na formatura de passagem de cargo do comandante da Aeronáutica em Brasília. Foram enviados representantes para a passagem de função do graduado-master, ocupada por um suboficial, da Base Aérea de São Paulo.

Mas tem também passagem de comando no exterior. Um oficial superior e um ocupante de cargo de natureza participaram da passagem de função de conselheiro militar na Missão Permanente do Brasil junto às Nações Unidas em Nova York. Eles participaram também da Conferência Sul-Americana dos Chefes de Defesa (SOUTHDEC), em Miami.

O ministro Braga Netto foi quem mais gastou com os jatinhos nas viagens para passagem de comando, visitas e formaturas. Foram R$ 810 mil. Isso sem contar as diárias e passagens de assessores. Além de prestigiar passagens de comandos militares e formaturas de oficiais, esteve também em solenidades de menor porte, como o 66º Aniversário do Colégio Militar de Belo Horizonte, a comemorações aos 1000 dias do governo Bolsonaro, em Porto Velho, e a cerimônia alusiva à 1ª Feira Brasileira de Nióbio, em Campinas (SP). O Comandante do Exército viajou para Iguaçu (CE), em 14 de novembro, para receber a Comenda do Mérito Intelectual Padre Antônio Vieira.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]