Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
No Festival da Primavera chinês, feriado nacional de duas semanas contado a partir do Ano Novo Lunar, cerca de 1,7 bilhão de viagens internas devem acontecer no país, mostrando alta do turismo local.
No Festival da Primavera chinês, feriado nacional de duas semanas contado a partir do Ano Novo Lunar, cerca de 1,7 bilhão de viagens internas devem acontecer no país, mostrando alta do turismo local.| Foto: Irum Shahid/ FreeImages

No dia 12 de fevereiro, data do Ano Novo Lunar, muitos chineses deixarão sem medo as metrópoles de onde trabalham e viajarão pelo país para descansar e rever familiares. Sempre é bom lembrar que a China é, por enquanto, o único país do mundo que controlou a Covid-19 dentro de suas fronteiras e que sua economia opera com plena capacidade.

No Festival da Primavera, feriado nacional de duas semanas contado a partir do Ano Novo Lunar, cerca de 1,7 bilhão de viagens internas terrestres, marítimas e aéreas devem acontecer em solo chinês, calcula o Ministério dos Transportes da China.

É um volume 40% menor que 2019, mas que já supera em 10% o movimento do Ano Novo de 2020, quando a China estava no auge do lockdown.

Também é importante lembrar que a China registrou casos pontuais de contágio doméstico, o que levou o governo a alertar a população para que evitasse voltar à terra natal e passasse o feriado “no local em que você está trabalhando”. Mesmo assim, o deslocamento previsto é de centenas de milhões de viajantes em curto espaço de tempo e faz com que esse seja o período de maior migração humana no mundo.

Ao olhar o turismo doméstico como categoria de consumo, vemos que esse ano será diferente e animador. O padrão de viagens mudou em relação a anos anteriores. O custo médio das passagens aéreas emitidas para o Festival da Primavera desse ano é de 650 renminbis (RMB), apura a Qunar, grande agência local de turismo. É um tíquete médio 200 RMB inferir ao de 2019, compara a empresa.

De acordo com o levantamento da Qunar, é possível encontrar hoje passagens aéreas para destinos tradicionalmente procurados no interior, como Sanya e Hainan — e a preços baixos. Em anos anteriores, comprar passagens na véspera do Ano Novo seria impossível, pois elas teriam se esgotado muito tempo antes.

Há baixa procura por viagens de avião esse ano em função das recomendações públicas de evitar grandes deslocamentos, mas isso não significa que os chineses não irão viajar. A procura por estadia nas metrópoles está subindo. Desde pousadas baratas B&B (bed & breakfast) a hotéis de várias estrelas, a busca por hospedagem no réveillon chinês cresceu 30% em metrópoles como Xangai, Guangzhou (também conhecida como Cantão), Chengdu, Shenzhen e Chongqing.

Além da recuperação do turismo doméstico, outras categorias ligadas ao contato presencial devem se beneficiar da retomada do consumo.

“Os setores de cinema, viagens e de bufê terão uma grande onda de interesse. Após a seca de filmes em 2020, o retorno das bilheterias no Dia de Ano Novo ultrapassou 600 milhões de RMB. E passeios locais de alto padrão e personalizados serão muito populares”, segundo Estelle Suen, analista da consultoria de marketing Alarice e agência digital ChoZan. Para a Alarice/ChoZan, o chinês está buscando lazer em metrópoles em função da ampla oferta de passeios culturais, gastronômicos e históricos.

A retomada do turismo doméstico na China é uma demonstração de confiança e otimismo. No Brasil, o setor também registrou uma mudança de perfil turístico. Uma pesquisa realizada pelo Airbnb sobre o mercado nacional mostra que 62% dos clientes ouvidos disseram que em 2021 pretendem fazer as chamadas viagens “hiperlocais” — aquelas de até 300 quilômetros de distância das suas casas.

Como reflexo disso, vemos o aumento de reservas de casas de campo e em cidades litorâneas. O que é ótimo para prestigiar nossos destinos naturais de grande beleza e mudar uma mentalidade existente de que o que é bom é o que está lá fora.

Em tempo: no horóscopo chinês, o ano de 2021 será regido pelo signo do Boi (ou Búfalo) de Metal entre o dia 12 de fevereiro e 31 de janeiro do próximo ano. O boi representa trabalho duro e superação, sendo que o metal é o elemento associado à criatividade. A partir do dia 12, que o Ano Novo de 4719 (segundo o calendário chinês) nos traga muita inspiração para superar desafios e que o trabalho duro se transforme em grandes resultados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]