Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Conchiglioni gratinado, recheado com figo seco, ricota e queijo Minas. Prato especial para o Dia das Mães.
Conchiglioni gratinado, recheado com figo seco, ricota e queijo Minas. Prato especial para o Dia das Mães.| Foto: Anacreon de Téos

Pensei na hora: ideal para o Dia das Mães.

Passava pela prateleira de importados no supermercado e me deparei com a embalagem de Conchiglioni Paganini, importado pela Porto a Porto (exatamente a que prefiro, pela textura final da massa) entre as outras variedades e marcas de pastas italianas.

O conchiglione é uma massa generosa, que permite infinitas combinações de recheio, pois o formato de concha (e esse é o significado da palavra conchiglione em italiano) chama por um recheio, que pode ficar na inspiração de cada um.

Os italianos usam funghi, camarões, ragu, abóbora, espinafre, presunto, salmão... uma infinidade. Mas não costumam fazer com um recheio que se tornou mais popular e apreciado no Brasil, especialmente por aqui, na nossa região: figo e ricota. Embora não esteja entre os pratos mais consumidos do Restaurante Madalosso, é um clássico de lá (e também do Famiglia Fadanelli, outra casa do grupo) e tornou-se inspiração para outros tantos cozinheiros fazerem o mesmo.

Dentre os quais me incluo, pois admiro muito as combinações agridoces, especialmente aquelas que não são exageradas, que não forçam a barra na interação dos ingredientes. Como é o caso do prato que é o nosso assunto. E justamente para não permitir um nível maior de açúcar, prefiro sempre o figo seco (devidamente hidratado por uns tempos) à compota, claramente mais doce.

Bons ingredientes são necessários para o melhor resultado final na composição de um prato.
Bons ingredientes são necessários para o melhor resultado final na composição de um prato. | Foto: Leticia Akemi/ Gazeta do Povo

E, como tudo é detalhe, para permitir melhor absorção e emulsão de sabores, quanto melhor a ricota, mais próximo o recheio chega do ponto de perfeição. Por isso escolhi a ricota da Mozzarellart, que me encantou desde a primeira vez que provei, há pouco mais de dois anos (confira aqui o post da ocasião).

Pensei em incluir também alguns cubinhos de queijo minas, só para dar uma consistência no recheio. E aí foi só elaborar a receita, para ver como ficaria no Dia das Mães.

Não é por nada, mas ficou delicioso e fica aqui como uma sugestão diferente para quem vai homenagear a mãe com um prato especial neste domingo.

Publico a versão para quatro pessoas, mas para quem quiser mais ou menos é só fazer a conta dos ingredientes proporcionais à nova medida.

Vamos à receita, então?

Conchiglioni pronto e servido. Para fazer sucesso no dia das Mães.
Conchiglioni pronto e servido. Para fazer sucesso no dia das Mães. | Foto/ Anacreon de Téos

Conchiglioni para as mães

Por Anacreon de Téos
Tempo de preparo1 hora e meia
Rendimento4 porções
PreparoMédio

Ingredientes

  • 350g de conchiglioni
  • 4 colheres (sopa) de creme de leite
  • 190g de figos secos
  • 65g de ricota, em pequenos cubos
  • 55g de queijo minas, em pequenos cubos
  • 35g de manteiga
  • 1/3 de cebola, picada
  • 2 ½ colheres (sopa) de farinha de trigo
  • 1 pitada de noz-moscada, ralada na hora
  • 160 ml de creme de leite fresco
  • 550 ml de leite integral
  • Sal e pimenta-do-reino branca a gosto
  • 35g de queijo parmesão ralado

Preparo

  1. Preaqueça o forno a 180ºC.
  2. Cozinhe a massa em água salgada, de acordo com as instruções da embalagem. Deixe al dente, pois ela ainda irá ao forno.
  3. Hidrate os figos secos em água fervente, deixando por 30 a 40 minutos em repouso, até amolecerem bem.
  4. Pique os figos em cubos pequenos. Junte o queijo, a ricota e 4 colheres (sopa) de creme de leite, misturando bem.
  5. Recheie a massa com essa mistura, com ajuda de uma colher (chá).
  6. Unte uma travessa com manteiga e coloque a massa recheada
  7. Leve uma panela ao fogo, com a manteiga e a cebola. Quando a cebola estiver murcha e transparente, acrescente a farinha de trigo. Mexa bem e deixe cozinhar a farinha.
  8. Junte todo o leite de uma só fez e deixe ferver. Quando começar a borbulhar, mexa, deixe engrossar um pouco e adicione o creme de leite.
  9. Tempere com sal, pimenta e noz-moscada ralada. Reserve.
  10. Esparrame o molho por cima da massa, complete com o queijo parmesão e leve ao forno por aproximadamente 30 minutos

Burrata de pistache

Na ida à Mozzarellart para comprar a ricota surgiu, automaticamente, a ideia para a sobremesa. A casa acaba de lançar a Burrata com mousse de pistache, que contém a tradicional "casca" de mozzarella, dessa vez recheada com mousse cremoso e pequenos pedaços de pistache.

Tinha até pensado na possibilidade de utilizar como entrada, mas a moça que me vendeu não recomendou: "tem um pouco de leite condensado no recheio" – foi o que me disse. Mas daí provei um pouco antes e senti somente um leve dulçor.

Foi mesmo para a entrada, combinando com rúcula e tomatinhos (combinação clássica) e ainda um creme de aceto com frutas vermelhas. Ficou perfeita.

A nova burrata foi lançada exclusivamente para comemorar esse Dia das Mães e está sendo vendida exclusivamente na loja física, no Juvevê. O último dia de vendas será o próximo sábado (08), justamente a véspera da data festiva. Cada unidade custa R$ 145 o quilo e tem em torno de 200g.

Mozzabox

A Mozzarellart, aliás, está anunciando também a Mozzabox de Dia das Mães, uma bela caixa para presente, que contém oito produtos artesanais e importados da Itália, como a já comentada Burrata com mousse de pistache; Mozzarella fior di latte, a tradicional bola de muçarela fresca; Stracciatella, creme de leite com fios de muçarela, conhecida por ser o recheio da Burrata; Massa artesanal Manta Pastai, em formato de folhas de oliveiras; Conserva de azeitonas verdes; Creme de azeitonas pretas; Geleia de abacaxi com pimenta; e vinho frisante Ebbrezza, importação exclusiva da casa.

A caixa custa R$ 240, contendo o vinho, e R$ 194 sem ele.

Mozzarellart

Rua Rocha Pombo, 384 – Juvevê

Fone (WhatsApp): (41) 99923-0809

=-=-=-=-=-=-=-=-=

Dicas

  • Os italianos utilizam a terminação “i” para significar o plural. Portanto, o singular conchiglione se torna conchiglioni no plural. É uma massa de sêmola de “grano duro” e tem esse nome por significar concha, que é o formato da massa.
  • Cuidado com a pronúncia correta para conchiglioni. A sílaba “chi”, em italiano, faz “qui” e não “xi”, como muito se ouve por aí, inclusive em alguns restaurantes ditos “italianos”, nos quais o garçom já chega oferecendo “conxilhoni”.
  • A caixa de 500g de Conchiglioni Paganini, utilizada na receita, custa R$ 17,90 – com pequena variação de um revendedor para outro.
  • A ricota é vendida em embalagens de aproximadamente 330g e custa R$ 49 o quilo.
  • A Burrata com pistache custa perto de R$ 30, cada (dá para duas pessoas).
  • Os figos secos podem ser encontrados nas bancas do Mercado Municipal de Curitiba, mas também em redes de supermercados. Em algumas lojas do Festval, pode ser encontrado à granel, embalado na hora pelo próprio cliente. Ou em embalagens de 200g. A 69,90 o kg.
  • Não use um refratário muito raso, para evitar que o molho branco se espalhe e não cubra a massa.

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:

Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/

Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]