Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Mesmo que seu negócio não tenha os recursos de uma gigante da tecnologia, se pergunte sempre quais pequenos passos você pode dar para conseguir, aos poucos, abraçar macrotendências. Assim, elas começarão a entrar no dia a dia da empresa, em vez de parecerem apenas palavras da moda que saem toda hora em sites ou publicações.
Mesmo que seu negócio não tenha os recursos de uma gigante da tecnologia, se pergunte sempre quais pequenos passos você pode dar para conseguir, aos poucos, abraçar macrotendências. Assim, elas começarão a entrar no dia a dia da empresa, em vez de parecerem apenas palavras da moda que saem toda hora em sites ou publicações.| Foto: Bigstock

O problema de editoriais que tentam especificar tendências para o ano que se segue é que muitos deles acabam caindo em extremos: ou são genéricos ou são específicos demais.

São genéricos ao listarem coisas como inteligência artificial, personalização e realidade virtual. Sim, palavras-chaves e tecnologias como essas são importantes para o mundo dos negócios, mas como elas se convertem em ações práticas?

No outro extremo, temos as previsões um tanto específicas, em que especialistas buscam elucidar como uma tecnologia ou um comportamento irão vigorar a partir de uma determinada data. Penso que o ano de 2020 é uma prova de que esse tipo de previsão tão específica é, no mínimo, ingênua.

Existem macrotendências que irão afetar os negócios e as carreiras nos próximos 10 anos. E, sim, sabemos que a personalização é uma grande tendência para os próximos anos, e que empresas como Netflix, Spotify e Amazon são gigantes que a utilizam como um ativo estratégico poderoso de diferenciação. Mas, não podemos apenas ler a respeito do tema, e não descobrir como aplicá-lo.

Mesmo que seu negócio não tenha os recursos de uma gigante da tecnologia, se pergunte sempre quais pequenos passos você pode dar para conseguir, aos poucos, abraçar macrotendências. Assim, elas começarão a entrar no dia a dia da empresa, em vez de parecerem apenas palavras da moda que saem toda hora em sites ou publicações.

Da mesma forma, é importante entender que boa parte das previsões, no final das contas, está errada ou fora de timing. Por isso, é perigoso querer apostar todas as fichas que uma determinada tendência irá crescer exponencialmente no próximo ano. Desde 2015, especialistas e publicações afirmam todos os anos que “este será o ano da realidade virtual”.

Estar preparado para as tendências é mais importante do que tentar acertá-las, definitivamente. Quando vislumbrar os próximos 10 anos da sua carreira ou empresa, pense que boa parte das macrotendências provavelmente estará certa, mas é bem provável que a maioria das previsões mais específicas de quando e como elas irão acontecer estará errada.

Faça pequenos testes ao longo do tempo. Para que, quando o timing correto dessas macrotendências realmente chegar, sua empresa e você estejam prontos, sem a necessidade de ficar tentando - de forma improdutiva - prever o futuro.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]