Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Medicina

130 anos de misericórdia

Primeiro hospital de Curitiba, construído para conter a epidemia de cólera, faz aniversário no próximo dia 22

O hospital nos dias de hoje: restauração iniciada em 2005 vai recuperar detalhes  da arquitetura original |
O hospital nos dias de hoje: restauração iniciada em 2005 vai recuperar detalhes da arquitetura original
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

130 anos de misericórdia

O primeiro hospital de Curitiba funcionou em uma casa com dois quartos, na Rua Treze de Maio, e foi criado para prevenir uma epidemia da cólera. Por volta de 1855, estados como Pará, Ceará, Pernambuco e Bahia enfrentaram diversas mortes por causa da epidemia: a notícia correu o Bra­sil, e no Paraná a ideia foi criar um hospital que pudesse atender a população curitibana, caso a cólera chegasse à região. O único hospital mais próximo que existia, na época, era a Santa Casa de Paranaguá.

A epidemia não chegou ao estado, mas o hospital prosperou mesmo assim. Era comandado pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba – a entidade foi criada três anos antes do hospital. Na pequena casa de dois quartos trabalhava um único médico, José Cândido da Silva Murici (o nome correto seria grafado com “i” e não com “y” como o fazem atualmente). Murici dirigia o hospital e atendia os pacientes. Ali uma pequena farmácia foi criada pelo farmacêutico Augusto Stellfeld.

Foi Murici quem lutou para manter o hospital e conseguiu, em 1868, um terreno maior que possibilitaria ampliar as instalações: ficava na Rua da Mi­­seri­córdia, atual André de Barros, esquina com Alferes Poli. Na frente havia um grande banhado que só anos mais tarde passaria a ser a atual Praça Rui Barbosa.

O médico começou a angariar dinheiro para realizar o sonho de ver o novo hospital pronto. “Não foi fácil. A cada ano mudava o presidente da província do estado (nem a República havia sido declarada) e Murici ia lá pedir dinheiro. A construção demorou 12 anos para ficar pronta. Ele morreu um ano antes da inauguração”, explica o cirurgião-clínico Carlos Ravazzani, que estudou a história do hospital.

O Hospital de Caridade (no endereço atual) foi inaugurado em 1880, com 20 leitos, e completa 130 anos em 22 de maio deste ano. O imperador dom Pedro II marcou presença na cerimônia de inauguração porque estava de passagem pelo município – ele veio para conhecer a estrada de ferro que ligava Paranaguá a Curitiba. “D. Pedro falou que o hospital estava bem localizado”, conta Ravazzani.

Em 1914, o hospital passou a receber os alunos de Medicina da Universidade do Paraná (atual UFPR) e, em 1953, com a saída dos residentes da UFPR para o Hospital de Clínicas, a Santa Casa ganhou uma nova parceria universitária: os graduandos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) – esses últimos trabalham no local até hoje. O atual provedor da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia, Frederico Unterberger, afirma que o aniversário de inauguração é mais um momento para se lembrar que o hospital é a memória da Medicina para Curitiba. “É para nós não esquecermos que o que somos hoje é resultado do somatório do trabalho de muita gente. Passaram pelo hospital 40 provedores antes de mim”, diz.

André de Barros, que deu nome à atual rua do hospital, foi um dos provedores da irmandade e quando morreu, em 1922, doou toda a sua fortuna para a Santa Casa.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE