Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Bicicletada

Ciclistas pintam ciclofaixa em rua de Curitiba e são multados

Sinalização criada foi apagada e depois refeita para o dia do Desafio Intermodal de 2007

  • Leonardo Bonassoli
Integrantes do movimento Bicicletada Curitiba, em foto de outubro de 2007, mostram a ciclofaixa apagada na Augusto Stresser; na foto, da esquerda para a direita, Juan Parada (um dos multados), Antonio Ramos, Gabriel Nogueira, Luis Peters (ao fundo), Olho e Goura Nataraj |
Integrantes do movimento Bicicletada Curitiba, em foto de outubro de 2007, mostram a ciclofaixa apagada na Augusto Stresser; na foto, da esquerda para a direita, Juan Parada (um dos multados), Antonio Ramos, Gabriel Nogueira, Luis Peters (ao fundo), Olho e Goura Nataraj
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A Prefeitura de Curitiba multou em cerca de R$ 750 três ativistas por pintarem uma ciclofaixa na Rua Augusto Stresser. A infração aconteceu durante um protesto no Dia Mundial Sem Carro de 2007, 22 de setembro, mas a multa só chegou na semana passada. Os ciclistas são integrantes da Bicicletada, movimento que luta para que haja mais atenção com o meio de transporte por parte do governo e da sociedade.

Após uma mobilização com uma carta assinada por ativistas e comerciantes e enviada ao prefeito, cerca de cinqüenta ciclistas pintaram uma ciclofaixa de um metro de largura, utilizando tinta asfáltica e se baseando no Código Brasileiro de Trânsito.

Fernando Rosenbaum, um dos ciclo-ativistas, contou que guardas municipais sem identificação no uniforme reprimiram o protesto de natureza pacífica. “Eles prenderam três de nós aleatoriamente e nos levaram para a Delegacia do Meio-Ambiente para que assinássemos uma multa por vandalismo e pichação que nós recusamos a assinar”, contou Rosenbaum, que foi um dos “escolhidos” junto com Jorge Brandt e Juan Parada.

A ciclofaixa foi apagada, porém algumas semanas depois foi refeita pelos participantes do Primeiro Desafio Intermodal de Curitiba, em outubro do ano passado.

Segundo a assessoria da Guarda Municipal de Curitiba, a punição foi baseada na lei municipal 11378/2005, que afirma que cidadão flagrado pichando é multado no valor equivalente a 714 UFIR (Unidade Fiscal de Referência, indexador extinto em 2001) e impedido de participar de concursos públicos por dois anos, além de responder por crime contra o meio-ambiente.

Em agosto deste ano, os três ativistas foram chamados para se defender da multa. “Nós argumentamos que estávamos fazendo um ato cívico para conscientizar de que a ciclofaixa é uma alternativa barata e segura às ciclovias e, alem disso, não houve flagrante, pois não localizaram as tintas”, explicou Fernando, que reclamou que a guia da infração teria chegado numa data fora de tempo hábil para fazer a defesa.

Na última semana, eles acabaram recebendo uma notificação de que deveriam pagar os 750 reais. “Nós fizemos uma reunião com o IPPUC falando das ciclofaixas e eles não acreditaram. Ali na Augusto Stresser ela é usada por famílias e até por carrinhos de bebês que encontram menos obstáculos que na calçada”, desabafou Rosenbaum, que revelou que dois advogados estão interessados em defender o grupo na Justiça.

Você acha justa a multa aplicada aos ativistas? Deixe seu comentário no formulário abaixo

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

  1. Estela Muller exibe a nova aquisição, uma árvore natalina, e o enfeite herdado da mãe |

    Fim de ano

    O dia certo de montar a árvore de Natal

  2. Consumo

    Saiba a quantidade de água que você gasta nas atividades diárias

  3. Antes de comprar o bonsai é preciso saber se as características da planta combinam com o local onde ela vai ficar |

    Jardinagem

    Saiba como cuidar de um bonsai em casa ou no apartamento

PUBLICIDADE