Reinaldo Bessa

Fechar
PUBLICIDADE
Reinaldo Bessa

Reinaldo Bessa + VER MAIS COLUNISTAS

reinaldo bessa

Cabeça privilegiada 1

O ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, durante seu aplaudido discurso na cerimônia de comemoração dos 25 anos da agência Heads Propaganda no Copacabana Palace |
O ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, durante seu aplaudido discurso na cerimônia de comemoração dos 25 anos da agência Heads Propaganda no Copacabana Palace
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Cabeça privilegiada 1

O ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan foi recebido com um caloroso aplauso, com a plateia de pé, ao ser convidado pela mestre de cerimônias Sonia Bridi, a subir ao palco para dar início à palestra na solenidade de comemoração dos 25 anos da agência Heads Propaganda, de Curitiba, na noite de quinta-feira, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Annan, de 76 anos, foi recebido pelos sócios da agência, Claudio Loureiro e José Buffo, para um coquetel privado antes da cerimônia, no qual conversou e posou para fotos com alguns convidados. A Heads é a quarta maior agência do Brasil com capital 100% nacional.

Cabeça privilegiada 2

Ao anunciar a presença de Kofi Annan, Prêmio Nobel da Paz, a jornalista da TV Globo Sonia Bridi, visivelmente emocionada, disse: “Não é sempre que temos a oportunidade de [ter] alguém com tanto conhecimento para compartilhar” e chamou-o de disseminador da paz.

Tinha que tocar nisso?

Kofi Annan iniciou a palestra, com tradução simultânea, brincando com o tropeço do Brasil na Copa do Mundo. “Vocês devem se consolar com duas certezas: o Brasil em breve trará alegrias e todos que aqui estiveram foram embora muito bem impressionados”. O riso foi geral.

Dor de cabeça crônica

Depois, falou sobre vários assuntos, entre eles o fanatismo religioso, sempre com um tom de voz moderado, porém firme, durante pouco mais de uma hora. Sobre os grupos terroristas, como o Isis, fundador do chamado Estado Islâmico, afirmou que o problema é não ter quem abordar, diferentemente do que ocorre quando o conflito envolve países.

Guerra perdida

A corrupção e as drogas também entraram na pauta de Kofi Annan. Para ele, é preciso mais transparência na política. Já a guerra contra os entorpecentes fracassou, em sua opinião. Ao final, Annan foi novamente aplaudido de pé pelos presentes que lotavam a sala. Após a palestra, ele participou de um rápido talk-show em que respondeu perguntas da plateia. Abaixo, algumas das falas de Kofi Annan:

“As empresas não podem ter sucesso numa sociedade que fracasse. Todos temos responsabilidade com o mundo"

“Vivemos em um mundo em que a pobreza extrema vive ao lado da fortuna. É preciso haver uma sociedade melhor e mais justa”

“As empresas precisam garantir que as decisões que tomam ajudem o desenvolvimento sustentável”

“É muito difícil tirar privilégios e subsídios”

“As drogas não devem ser totalmente livres. Algumas têm que ser regulamentadas. Há uma diferença entre legalizar e descriminalizar”

“Numa guerra todos perdem, inclusive os que se dizem vitoriosos”

“O Conselho de Segurança das Nações Unidas tem que ser reformulado. Não reflete mais a geopolítica de 1945”

Dê sua opinião

O que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

deixe sua opinião

últimas colunas de Reinaldo Bessa

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais