Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

consumo saudável

Embutidos brasileiros têm excesso de aditivos

Associação de consumidores testou os produtos processados mais consumidos no país e encontrou teor elevado de nitrito residual, substância com potencial cancerígeno

  • Carolina Pompeo
 | Alexandre Mazzo
Alexandre Mazzo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A Proteste Associação de Consumidores testou os 41 alimentos embutidos mais consumidos pelos brasileiros para avaliar se a concentração de nitrito residual – substância potencialmente cancerígena e presente nas carnes processadas – está dentro da quantidade permitida por lei.

Três produtos, produzidos por empresas paranaenses, apresentaram teor acima dos limites estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e reprovaram no teste.

Resultados

A quantidade máxima de nitrito residual permitida na composição de carnes processadas produzidas aqui no Brasil é de 150 mg por quilo.

A mortadela da marca Maná, de Joaquim Távora, no Norte Pioneiro ficou em primeiro lugar, como o embutido com maior teor de nitrito residual: 196,6 mg/kg, cerca de 31% a mais que o limite máximo permitido.

Os outros dois produtos reprovados no teste são da marca Palmali, de Maringá – a mortadela e a linguiça tipo calabresa, com 177,1 e 159,3 mg/kg de nitrito residual, respectivamente.

A empresa Maná informou ainda não ter sido notificada oficialmente pela Proteste e desconhecer os critérios utilizados no teste. Em nota, a assessoria de imprensa afirmou que a empresa nunca teve nenhum caso como o apontado pela associação de consumidores. Um laudo produzido pela própria empresa informa que a mortadela contém 141,21 mg/kg, quantia bem abaixo da encontrada pela Proteste.

Já a Palmali afirmou não ter sido notificada pela Proteste e não ter informações necessárias para avaliar o resultado, como o lote que foi testado e qual foi a metodologia utilizada. A empresa declarou ainda cumprir os limites máximos estabelecidos por lei.

Medidas

A associação de consumidores deve enviar os resultados obtidos para as empresas testadas e para a Anvisa, solicitando fiscalização e providências para que os fabricantes adequem os produtos às normas nacionais.

Na avaliação de Maria Inês Dolci, coordenadora da Proteste, a legislação brasileira é permissiva, pois os valores-limite de nitrito residual permitidos (de 150 mg e 300 mg, a depender do tipo de produto) já são considerados elevados.

“Encaminhamos o resultado do teste para a Anvisa e para as empresas, porque mesmo os produtos com teor dentro do permitido possuem quantidade de nitrito residual elevada. Por isso orientamos o consumidor a controlar o consumo diário.”

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

  1. Espaço

    Chuva de meteoritos pode ser observada durante esta quinta e sexta no PR

  2. Lojas da rede Visomax foram fechadas em Curitiba: preços baixos chamaram a atenção da polícia |

    Operação

    Negócio da China leva 16 para a cadeia

  3. Oeste do Paraná

    Temporal de granizo provoca estragos e apagão em Toledo

PUBLICIDADE