Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

Violência em SP

Corpo de funcionário de colégio assassinado será enterrado na BA

Eduardo Paiva, de 39 anos, foi morto em uma tentativa de assalto em uma calçada da Avenida Higienópolis, na capital paulista, depois de resistir a um dos dois assaltantes

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O auxiliar de serviços gerais do Colégio Nossa Senhora do Sion, assassinado na manhã desta segunda-feira (3) será enterrado em Vitória da Conquista, Bahia, de acordo com a assessoria da escola. Eduardo Paiva, de 39 anos, foi morto em uma tentativa de assalto em uma calçada da Avenida Higienópolis, depois de resistir a um dos dois assaltantes, que o havia mandado ajoelhar. A vítima estava com R$ 3 mil dentro da calça, sacados de um cheque em agência do Itaú Personnalité, a poucos metros do local do crime.

O colégio não confirmou se irá custear as despesas de embalsamamento e o translado do corpo do ex-funcionário, que trabalhava na instituição havia 8 anos.

A polícia afirma que ainda não conseguiu identificar os dois homens que participaram do assalto. Eles chegaram em uma moto, um com roupa preta e capacete e outro de blusa vermelha e boné. O garupa seguiu a vítima na calçada e o rendeu. Depois que a vítima tentou se levantar, o ladrão deu dois tiros, de acordo com testemunhas. O garupa voltou para cima da moto e os assaltantes fugiram. A vítima ficou para trás, cambaleando até cair no meio da pista. Paiva chegou a ser socorrido na Santa Casa de Santa Cecília, mas não resistiu.

Tanto o colégio Sion como o Colégio Rio Branco, localizado do outro lado da Avenida Higienópolis, afirmaram que tiveram aulas normais nesta terça-feira (4).

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais