Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

Tragédia

Depois de ficar 45 minutos em Friburgo, Dilma segue para o Rio

Ela percorreu uma rua onde três bombeiros morreram soterrados. Ela vai participar de uma entrevista coletiva no Rio

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A presidente Dilma Rousseff deixou Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, 45 minutos após chegar à cidade, na tarde desta quinta-feira (13). Ela vai participar de uma entrevista coletiva no Rio.

A presidente chegou por volta das 13h30 à Rua Luís Spinelli, no centro da cidade. No local, um prédio desabou parcialmente e uma viatura do Corpo de Bombeiros foi soterrada. Ao todo, três bombeiros morreram no local. Já passam de 380 o número de mortos em deslizamentos e enchentes na Região Serrana do estado.

Calçando galochas, Dilma percorreu a rua acompanhada do governador do Rio, Sérgio Cabral, do prefeito em exercício de Nova Friburgo, Demerval Neto (PMDB), e de alguns ministros. No trajeto, ela conversou com um morador.

Ao chegar à prefeitura da cidade, Dilma respondeu a uma pergunta sobre a ajuda federal aos municípios atingidos: “Vamos realizar ações de governo firmes.”

Em Nova Friburgo, o número de vítimas já chega a 168. Segundo a prefeitura da cidade, 13 corpos foram encontrados na manhã desta quinta-feira (13). Mais corpos também foram encontrados em Teresópolis, onde voltou a chover por volta das 10h30, e em Petrópolis.

Bombeiro soterrado é achado

Um dos corpos encontrados nesta manhã é o do bombeiro Vitor Lembo, que estava trabalhando no Centro de Friburgo, na quarta-feira (12), quando foi soterrado com mais dois colegas. Seu corpo só foi retirado dos escombros nesta manhã, sob lágrimas e aplausos. Além da família, colegas de trabalho, como o coronel Suarez, diretor-geral de saúde do Corpo de Bombeiros, e um outro agente vítima do mesmo desabamento, mas resgatado com vida, choravam.

No Centro de Friburgo, um das áreas mais castigadas, o comércio segue fechado. É grande o volume de lama nas ruas. Na entrada da cidade, o único posto de gasolina aberto nesta manhã tinha cerca de 50 motoristas na fila, tentando abastecer. Parte do sistema de telefonia já voltou a funcionar.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais