Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

segurança

Governo federal aprova 14 projetos de presídios no Paraná, anuncia secretária

Com construção de novas unidades, o estado terá 6.348 novas vagas de detenção estadual. O sistema é tema de exposição fotográfica no presídio no Ahú

 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

A Secretaria Estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos anunciou nesta sexta-feira (21) que o Ministério da Justiça aprovou a construção e ampliação de 14 unidades prisionais no Paraná. Com as novas unidades, calcula a secretaria, o Paraná terá 6.348 novas vagas no sistema de detenção estadual. Serão investidos R$ 160 milhões nos novos projetos, sendo R$ 130 milhões de recursos federais. Com a construção dos novos presídios, o objetivo é diminuir a quantidade de presos nas delegacias, que totalizam cerca de 11,9 mil.

A secretária estadual da Justiça, Maria Teresa Uille Gomes, explicou à Agência Estadual de Notícias (AEN) que pretende terminar o ano de 2012 com menos de 10 mil presos em delegacias de polícia. “Vamos detalhar a localização das unidades e abrir a licitação para construção dos novos presídios no menor prazo possível”, explicou a secretária à AEN.

Exposição

Nesta sexta-feira, a Secretaria anunciou ainda a abertura da exposição que mostra os 104 anos do Sistema Penitenciário do Paraná. A mostra, que foi instalada na antiga Prisão Provisória de Curitiba, no bairro Ahú, pretende fazer um resgate histórico do sistema prisional. A exposição conta com acervo fotográfico de bens móveis e imóveis, além de outros objetos de raro valor, permitindo que o público conheça mais de perto o cotidiano de uma penitenciária.

Serviço

Exposição 104 anos do Sistema Penitenciário

Horário: Sábado (22) das 10 às 17 horas, e domingo (23), das 13 às 17h30

Local: Avenida Anita Garilbaldi, 750, Bairro Ahú - Curitiba/PR

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais