Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Vida e Cidadania

Fechar
PUBLICIDADE

Centro histórico

Manifestação para salvar o São Francisco

Moradores, comerciantes e frequentadores se reuniram ontem à noite no bairro histórico de Curitiba para pedir mudanças urgentes ao local: insegurança é um dos maiores problemas

Grupo deixou rosas em pontos onde ocorreram homicídios neste ano no bairro |
Grupo deixou rosas em pontos onde ocorreram homicídios neste ano no bairro
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O bairro São Francisco anoiteceu diferente ontem. Moradores, comerciantes e frequentadores do lugar abraçaram simbolicamente o bairro de Curitiba, no quarteirão próximo à Rua Paula Gomes, em um manifesto pacífico. Todos querem chamar a atenção, mais uma vez, para os problemas do São Francisco: drogas, pichações, insegurança.

O ato coletivo faz parte do projeto “Todos São Francisco”, desenvolvido pela comunidade com apoio do programa Redes de Desenvolvimento Local, organizado pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e pelo Serviço Social da Indústria. Além do abraço, os manifestantes caminharam pelas ruas e o percurso teve direito a cortejo com o grupo Maracatu e velas para iluminar os caminhos históricos. Na passagem, foram deixadas rosas em quatro pontos onde ocorreram homicídios neste ano.

A insegurança, segundo o presidente do conselho de segurança do Setor Histórico, Roberto Kaiser, ainda é o maior problema. Já para o proprietário de um dos bares da região, Arlindo Ventura, o São Francisco precisa mesmo é mudar a sua imagem perante o público. Ventura se engajou no projeto junto com outras 110 pessoas.

Para o próximo mês, os grupos envolvidos querem mostrar na prática como melhorar o bairro histórico: farão a arborização de algumas áreas, levarão para o lugar campanhas sobre a guarda consciente de animais e vão propor ações para o projeto “São Francisco Sem Crack”, para desenvolver um trabalho social com os usuá­­rios. Uma festa também selará o pacto de mudanças desejadas. “Todos sabemos que é importante preservar a história que o bairro tem”, afirma o agente de desenvolvimento local, Ticiano Miranda.

Siga a Gazeta do Povo e acompanhe mais novidades

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE
Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais