Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Recursos naturais

Revisão de normas da ABNT pode poupar muitas árvores

Pesquisadora paranaense propõe que monografias, dissertações e teses aproveitem os dois lados das folhas e também o uso de papel reciclado

  • Viviane Favretto
Ana Cecília: a ABNT se comprometeu a definir uma data para análise da proposta em no máximo dois meses |
Ana Cecília: a ABNT se comprometeu a definir uma data para análise da proposta em no máximo dois meses
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Você já pensou em quanto papel deixaria de ser usado se as monografias, dissertações e teses feitas pelos estudantes de graduação e pós-graduação pudessem ser impressas na frente e no verso das folhas? A advogada Ana Cecília Parodi, aluna do Mestrado de Direito Econômico e Socioambiental da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), pensou e fez as contas. Ela considerou também os cadernos e as fotocópias e chegou à conclusão de que, entre 1980 e 2007, quase 1 milhão de árvores foram derrubadas para a produção desse papel. Isso quer dizer que foram cortados 588 hectares de florestas, o equivalente a 800 campos de futebol.

A impressão somente na frente da folha é uma recomendação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), seguida pelas instituições de ensino. A associação também estabelece que o aluno deve usar papel branco. Ciente de que a mudança depende da revisão de uma norma, a advogada decidiu propor a mudança à ABNT. “Todos estamos na zona de conforto e não é todo dia que se encontra quem esteja disposto a sair dela”, afirma. Ana Cecília procurou a entidade e no pedido de revisão sugeriu o uso da frente e do verso das folhas, além de incluir a opção pelo uso do papel reciclado.

A pesquisa da aluna foi apresentada na última sexta-feira para a ABNT. Quem participou da reunião foi a professora Fabiane Lopes Bueno Netto Bessa, responsável pelo grupo de pesquisa Desenvolvimento Sustentável, Responsabilidade Social das Empresas e Cidades, da PUCPR, que co-orienta o trabalho de Ana Cecília junto com o professor Carlyle Popp, da UniCuritiba. Ele lidera o grupo de pesquisa Liberdade de Iniciativa e Dignidade Humana: Inclusão e Sustentabilidade. Segundo Fabiane, a ABNT se comprometeu a definir uma data para votar a reforma proposta em no máximo dois meses. “Eles disseram que nesse prazo terão o cronograma do que será discutido em 2009 e então saberemos quando eles vão debater a nossa proposta”, completa.

A professora diz que a apresentação da sugestão de mudança da norma foi bem recebida durante a reunião de trabalho da ABNT. De acordo com ela, todos ressaltaram que a revisão de normas ocorre justamente a partir de demandas sociais. Muitas mensagens foram enviadas para a ABNT reforçando a proposta de Ana Cecília e isso deu mais legitimidade ao pedido, explica Fabiane.

De acordo com Ana Cecília, há vários motivos para a revisão: a preocupação com o meio ambiente, a necessidade de identificar formas de mudar o modelo atual de produção e consumo, a importância de as instituições de ensino provocarem a reflexão e a busca de soluções para os problemas sociais e o papel da ABNT na promoção de mudanças e indução de comportamentos socioambientalmente corretos. Com a mudança da norma, lembra Ana Cecília, haverá a redução imediata do consumo de papel pela metade e como conseqüência a redução do desmatamento e a garantia de sustentabilidade para as próximas gerações.

* * * * *

Serviço

Para informações sobre a pesquisa e manifestação de apoio à mudança da norma o contato pode ser feito pelo e-mail reforma14724abnt@yahoo.com.br.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE