Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Após eleição

Richa anuncia volta da integração e do subsídio ao transporte coletivo de Curitiba

Expectativa do prefeito eleito, Rafael Greca (PMN), é assinar o acordo no dia da posse. Já subsídio voltaria a ser repassado “no início da gestão”

  • Euclides Lucas Garcia
  • Atualizado em às
 | Daniel Castellano/Gazeta do Povo/Arquivo
Daniel Castellano/Gazeta do Povo/Arquivo
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

Um dia depois de ver o aliado Rafael Greca (PMN) vencer a eleição para prefeito de Curitiba, o governador Beto Richa (PSDB) anunciou a volta da Rede Integrada de Transportes (RIT) e do subsídio ao transporte público da capital. Ambos os rompimentos ocorreram durante o mandato do atual prefeito Gustavo Fruet (PDT), que é opositor do tucano. As informações foram divulgadas no Paraná TV 2.ª edição, da RPC.

No começo do ano passado, a gestão da RIT foi desintegrada após a prefeitura de Curitiba e o governo Richa não se entenderem sobre o valor do subsídio estadual para equilibrar as contas do sistema metropolitano, que tem linhas mais longas e deficitárias. Sem acordo, 106 das 356 linhas da rede passaram a ser gerenciadas pela Comec, vinculada ao Executivo estadual.

“Isso acontece [a reintegração do sistema] rapidamente. Houve uma desintegração do sistema de transporte unilateral, pedido da prefeitura municipal, e agora, havendo interesse da prefeitura, o estado é parceiro para reintegrar o sistema”, afirmou Richa nesta segunda-feira (31). Ao comentar o assunto, Greca disse que espera poder assinar a reintegração já no dia posse, em 1.º de janeiro do ano que vem.

Subsídio

Já o subsídio anual de R$ 64 milhões que o governo alocava no transporte coletivo da capital foi cortado no primeiro trimestre de 2013. À época, Richa afirmou que o sistema municipal de ônibus é uma responsabilidade dos prefeitos, que não poderia ser terceirizada para o estado. Segundo ele, a ajuda ao prefeito anterior e seu aliado, Luciano Ducci (PSB), era momentânea e não poderia ser assumida pelo estado de forma permanente.

Agora, novamente com um aliado à frente do comando da capital, Richa disse ser possível retomar o subsídio já no início da gestão Greca. “Já estamos subsidiando a região metropolitana e podemos passar esse subsídio para a integração”, declarou. Questionado sobre as dificuldades financeiras enfrentadas pelo estado, o tucano afirmou que “graças ao ajuste fiscal” feito desde o fim de 2014 o Executivo estadual tem recursos para ajudar financeiramente o sistema de ônibus de Curitiba.

“Governador não diz a verdade”, afirma prefeitura

Em nota, a prefeitura de Curitiba disse que as afirmações feitas pelo governador Beto Richa não são verdadeiras no que diz respeito ao fim da integração. “Foi o governo do estado que cortou o subsídio para o transporte metropolitano − isso depois de reduzir o valor e atrasar repasses − e decidiu não renovar o convênio que autorizava a Urbs a gerenciar o sistema, o que levou à desintegração financeira desse sistema. Depois disso, o governo do estado, por meio da Comec, ainda reduziu o trajeto de várias linhas”, diz o texto.

Ainda segundo a nota, a gestão Gustavo Fruet “assegurou e ampliou a integração operacional, criando novas linhas e estendendo o trajeto de outras para atender o usuário da região metropolitana”. “E, ainda assim, a capital tem a menor tarifa entre os municípios da Grande Curitiba”, salienta a administração da capital.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida e Cidadania

PUBLICIDADE