PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Agricultura
  3. Agroenergia
  4. Entressafra prolongada da cana pode afetar preço do etanol
cana-de-açúcar

Entressafra prolongada da cana pode afetar preço do etanol

Com a estiagem que atinge os canaviais em São Paulo, maior produtor do país, a produtividade caiu e a colheita deve terminar mais cedo este ano, aumentando a fase de entressafra

Marcelo Andrade/Gazeta do Povo Na entressafra, o etanol sobe nos postos devido à menor oferta em relação ao período de safra. | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Na entressafra, o etanol sobe nos postos devido à menor oferta em relação ao período de safra.

  • Folhapress

A seca prolongada acentuou a quebra da produção de cana no Centro-Sul do país no mês de agosto e a previsão é de que o cenário se agrave nos próximos meses. A longa estiagem de 2018, que em algumas cidades paulistas se aproximou de 120 dias, pode resultar em uma redução na produção de cana-de-açúcar de até 40 milhões de toneladas na atual safra.

De acordo com relatório divulgado esta semana pela Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), dados do CTC (Centro de Tecnologia Canavieira) mostram que o rendimento dos canaviais colhidos em agosto foi de 70 toneladas de cana por hectare (10 mil metros quadrados), ante as 77,64 toneladas do mesmo período do ano passado, o que representa uma redução de 9,85%.

No acumulado da safra, a quebra da produtividade é inferior, o que mostra que nos últimos meses a estiagem no campo foi acentuada. Desde abril, a produtividade média é de 78,44 toneladas por hectare, ante as 81,20 toneladas do acumulado da safra passada no mesmo período.

Os reflexos da seca serão ampliados nas próximas quinzenas, de acordo com Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica. Segundo ele, a quebra será intensificada à medida que a colheita avançar para áreas mais afetadas pela seca e com lavouras mais velhas - que têm produtividade menor. Em relação a julho, a produtividade em agosto, que já foi feita em áreas com canaviais envelhecidos, teve queda de quase 8 toneladas por hectare.

Na segunda quinzena de agosto, foram moídos 43,31 milhões de toneladas de cana, alta de 10,83% em comparação com o mesmo período de 2017. Desde o início da safra, em abril, o crescimento acumulado é de 2,33%, com 391,77 milhões de toneladas processadas pelas usinas do centro-sul do país.

Adiantando a colheita

Com a seca, muitas usinas estão mais adiantadas na colheita em relação ao ano passado. Sem chuva, as colheitadeiras podem operar normalmente e os caminhões conseguem entrar no campo para transportar a cana.

Uma em cada cinco usinas consultadas pela Unica deve adiantar o encerramento da safra em ao menos um mês. Isso fará com que a entressafra, período que normalmente vai de dezembro a março, seja maior neste ano. É neste período, também, em que tradicionalmente o preço do etanol sobe nos postos de combustíveis, devido à menor oferta em relação ao período de safra.

O principal estado atingido é São Paulo, que responde por cerca de 80% da queda de produção até julho, com destaque negativo para o noroeste paulista - região de São José do Rio Preto e Araçatuba.

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

8 RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA