PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Agricultura
  3. Comissão aprova fim do selo “T” em produtos que contêm transgênicos
rotulagem

Comissão aprova fim do selo “T” em produtos que contêm transgênicos

Símbolo foi comparado a uma caveira, que desvaloriza alimentos produzidos no Brasil

Reprodução Pelo projeto, informação sobre transgenia deve permanecer, mas sem triângulo amarelo com a letra “T” | Reprodução

Pelo projeto, informação sobre transgenia deve permanecer, mas sem triângulo amarelo com a letra “T”

São Paulo |

  • Da redação, com agências

A Comissão de Agricultura do Senado aprovou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 34/2015 que reduz exigências para identificação de alimentos transgênicos. A proposta desobriga a indústria de informar a existência de organismos geneticamente modificados (OGMs) no rótulo dos produtos, se a concentração for inferior a 1% da composição total da mercadoria.

O relatório do senador Cidinho Santos (PR-MT), favorável ao projeto, foi aprovado nesta terça-feira (19) em votação simbólica.

Caso a concentração de transgênicos seja superior a 1%, os fabricantes devem incluir a informação no rótulo, mas sem a letra “T” inserida num triângulo amarelo como ocorre hoje.

Dizendo ser favorável à identificação de alimentos transgênicos, Cidinho criticou o uso de um símbolo ostensivo que apenas desvaloriza os alimentos produzidos no Brasil.

“Esse projeto é interessante para o país. Não há necessidade de escancarar na embalagem um T bem grande. A especificação pode vir de forma normal no rótulo e sem a necessidade dessa caracterização, como símbolo de caveira para desmerecer o produto brasileiro”, argumentou antes da votação.

O projeto não estava inicialmente na pauta da comissão e foi incluído pelo presidente Ivo Cassol (PP-RO) a pedido de Cidinho Santos. O relatório foi aprovado rapidamente e sem discussão, mas a tramitação da proposta tem sido marcada por divergência entre os senadores.

O PLC 34/2015 havia sido rejeitado na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). No início de agosto, na Comissão de Agricultura, a senadora Regina Sousa (PT-PI) apresentou um voto em separado defendendo a rejeição da iniciativa. Na ocasião, Cidinho Santos pediu vista para analisar melhor a proposta.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), que há dez anos mantém uma campanha contra o fim da rotulagem, considerou a aprovação do projeto um “grave retrocesso e uma afronta aos direitos dos consumidores”. O PLC terá de ser apreciado ainda pela Comissão de Assuntos Sociais, presidida pela senadora Marta Suplicy (PMDB/SP), e depois pela Comissão de Meio Ambiente, presidida pelo senador Davi Alcolumbre (DEM/AP).

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

Assista agora

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA