i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Arquivo

Euforia no campo com soja a US$ 15

  • PorJosé Rocher, editor
  • 30/04/2012 21:02

Os negócios que atingiram a marca de US$ 15 por bushel de soja na Bolsa de Chicago nos últimos dias deixaram os produtores brasileiros eufóricos. Apesar de o Sul ainda se ressentir das perdas provocadas pela seca da última temporada – Paraná e Rio Grande do Sul poderiam ter produzido volume 25% maior nos campos dedicados à oleaginosa –, a região apresenta o mesmo ânimo do Centro-Oeste e do Centro-Norte. Nos três circuitos produtivos do país, a tendência é de aumento no cultivo em 2012/13.

O Caminhos do Campo mostra nesta edição que já foi dada a largada na corrida da produção da próxima safra. A matéria de capa revela o porquê das altas dos preços: os estoques limitados. Ao desdobrar o assunto, a reportagem apurou que as compras antecipadas anunciam falta de sementes das variedades mais disputadas.

O produtor de grãos não perde tempo. Ao constatar que a demanda internacional continua em crescimento, planeja o cultivo de cada palmo de terra disponível. Antecipa compras, investe em tecnologia e estimula novos negócios. As cotações atuais indicam que a próxima temporada tende a ser lucrativa, mesmo que, até lá, os índices internacionais se reassentem. Essa é a mesma avaliação que estimula o cultivo nos Estados Unidos, apesar de o produtor norte-americano preferir apostar no que sabe fazer melhor: o plantio de milho.

Aliás, não se pode esquecer que a tendência é de baixa nas cotações no segundo semestre. Existem analistas apostando inclusive em quedas drásticas, em recuos históricos. No entanto, a proporção dessas baixas é discutível. A julgar pelo comportamento das bolsas nos últimos anos, as tendências pessimistas podem simplesmente virar poeira. O que há de concreto é o aperto entre oferta e demanda e a perspectiva de aumento na produção em toda a América, de norte a sul.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.