Práticas equivocadas potencializam erosão do solo. |
Práticas equivocadas potencializam erosão do solo.| Foto:

A degradação do solo no Paraná acendeu o sinal de alerta. Diante da possibilidade de perda de produtividade das lavouras nos próximos anos, o Conselho Regional de Engenharias e Agronomia do Paraná (Crea-PR) iniciou uma Operação de Fiscalização Especializada (OFE) em municípios como Maringá, Cascavel, Guarapuava e Ponta Grossa.

Técnicos do Crea irão se reunir, no início desta semana, com prefeituras e entidades do setor para difundir a necessidade da participação de um profissional no manejo do solo. Inicialmente, a operação não tem caráter punitivo nem prevê aplicação de multas. “É um trabalho de conscientização. O Paraná já apresenta algumas situações complicadas que exigem interferência”, expõe o gerente de fiscalização do Crea, Diogo Artur Tocacelli Colella. “Queremos estender o debate para outras regiões do estado.”

De acordo com a Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab), 30% dos cerca de 6 milhões de hectares cultivados no Paraná necessitam de intervenção imediata.A proposta do Crea é que os agricultores utilizem profissionais capacitados para o uso do solo de maneira racional.

A operação faz parte da série de eventos que abordam aspectos técnicos da conservação ao longo de 2015, definido como Ano Internacional dos Solos pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) .

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]