Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

A indústria de máquinas agrícolas nunca imaginou que o pequeno produtor fosse um dia salvar o ano das montadoras. A aposta sempre esteve no médio e grande agricultor, em clientes de equipamentos mais potentes e com mais tecnologia. Mas neste ano foram os tratores de pequeno porte que, literalmente, salvaram a lavoura, no campo e no chão da fábrica.

Foi graças aos tratores populares, financiados através de programas sociais, que muitas indústrias garantiram escala de produção. É verdade que elas produziram mais e faturaram menos. Máquinas maiores e com mais potência têm valor agregado. Já nos tratores menores a margem é limitada e o ganho também.

De qualquer forma, foram programas como o Trator Solidário, do governo estadual, e o Mais Ali­men­­tos, do governo federal, que susten­taram e fizeram girar esse mercado num período de crise, de retração do consumo mundial e de pé no freio nos investimentos. Oportuni­da­­de para o agricultor mecanizar sua lavoura, e fôlego para as montadoras.

Agora, fase de pré-safra de verão, o cenário começa a mu­­dar. O crédito começa a recuperar os índices de antes da crise, o segmento está confiante e o novo ciclo produtivo reúne todas as condições para fazer o campo voltar a crescer. Redução de custos, clima favorável e mais recursos garantem uma aposta mais segura de toda a cadeia produtiva.

Às indústrias de máquinas, fica o aprendizado de que, juntos, os pequenos produtores representam um grande negócio.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]