Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Enquanto no Brasil os produtores levam a cobrança de royalty sobre sementes de soja transgênica à Justiça, na Argentina o movimento é inverso, com o governo tentando introduzir a cobrança sobre sementes salvas -- guardadas de um ano para o outro. Os dois países estão entre os maiores exportadores de grãos.A Monsanto foi autorizada a retomar a cobrança de royalty sobre o uso de sementes RR1 no Brasil, em decisão liminar que suspende os efeitos de uma ação ainda em primeira instância em Mato Grosso. Mas os produtores alegam que o o prazo para cobrança venceu em 2010. No Rio Grande do Sul, questionam não o prazo, mas a cobrança em si, no caso de sementes salvas. O custo dos royalties no Brasil varia entre 2% e 3% do valor da produção.

Já o governo argentino alega que a cobrança vai ajudar a elevar a produção de grãos no longo prazo, uma vez que estimula a pesquisa e a introdução de novas tecnologias. Porém, sob forte resistência dos agricultores. A indústria de sementes e os grandes produtores de grãos dizem que a Argentina corre risco de perder terreno frente a concorrentes como o Brasil por desestimular a introdução de novas sementes. Comente, dê sua opinião a respeito da cobrança de royalty sobre sementes de soja salvas, acessando o Fórum de discussão do site.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]