Renda bizarra (foto 1)

Uma empresa paulista tem ministrado a produtores rurais do Paraná cursos sobre a criação de cobras. A bizarra alternativa de renda tem foco na extração do veneno das serpentes para fins medicinais. Marcos Francoti, o instrutor, defende que é possível ganhar um bom dinheiro. Ele explica que o veneno, utilizado para a fabricação de remédios, é vendido por grama. O produto vale cinco vezes mais do que ouro. "Temos parcerias com quatro laboratórios. Cada grama do veneno vale R$ 300." O material é desidratado e exportado para Alemanha, Estados Unidos e Japão. Segundo ele, há falta de produto no mercado. Para entrar no negócio, o produtor precisa estar autorizado pelo Ibama. A captura das cobras, no ambiente da propriedade rural, é feita pela Polícia Ambiental. Os veterinários e biólogos da própria empresa que oferece os cursos ficam responsáveis pela extração do veneno. A construção do serpentário, com as baias para as cobras, fica a cargo do produtor. Na semana passada, curso foi ministrado no Sindicato Rural de Guarapuava, região Central o Paraná. Informações: www.venenodeserpentes.com.br.

Camex aprova desoneração para importação de algodão (foto 2)

Com abastecimento desequilibrado por conta de diversos fatores como a redução da safra de alguns importantes produtores mundiais e a retomada do consumo, o setor têxtil brasileiro aplaudiu a decisão, na semana passada, da Câmara de Expor­tação (Camex) de aprovar a desoneração da importação de 250 mil toneladas de fibra de algodão. Para esse volume, fica zerada a alíquota do imposto de importação de 10%, para o período determinado entre outubro de 2010 e maio de 2011. O Brasil vinha colhendo cerca de 1,3 milhão de toneladas de algodão antes da crise. Desses, o mercado interno consumia 1 milhão de toneladas e o restante era exportado. Contudo, a safra neste ano chegou a somente 1,1 milhão de toneladas das quais mais de 150 mil foram exportadas nos primeiros sete meses do ano. A escassez de algodão ocorre num ano em que o Paraná praticamente eliminou a cotonicultura. O estado já foi o maior produtor nacional. Agora, restam só produtores endividados.

Faep lança novo portal de informação e serviço (foto 3)

A Federação da Agricultura do Paraná (Faep) colocou nova página na internet. As reformulações tornaram o espaço na web mais dinâmico e interativo, com áreas de acesso exclusivo aos sindicatos rurais e associados e outras que permintem a interação com o públio em geral. A partir do novo site também é possível ter acesso aos conteúdos do Senar Paraná e dos sindicatos rurais, que juntos formam o sistema Faep. O portal traz ainda informações das cadeias produtivas do agronegócio paranaense, como grãos, carne e leite, por exemplo, políticas e programas de governo, cursos, cotações e clima. O site reformulado está no ar há duas semanas. Informações: www.faep.com.br.

Ruralistas criam fundo para campanhas eleitorais

Os ruralistas decidiram criar um fundo e arrecadar dinheiro para as campanhas eleitorais de deputados e senadores ligados ao setor e eleger novos parlamentares. A iniciativa é da presidente da confederação da agricultura (CNA), a senadora Katia Abreu (DEM-TO), que pede a to­­dos os produtores rurais do país contribuições de R$ 100, R$ 500 ou R$ 1.000. E doação de até 10% do valor do rendimento declarado no Imposto de Renda, limite autorizado pela legislação eleitoral. O objetivo da Agri­cultura Forte, como foi batizado o movimento, é reeleger e aumentar a bancada ruralista. Katia Abreu gravou um vídeo no qual defende a reeleição de congressistas ruralistas que "sempre estiveram ao nosso lado" e convoca os produtores a levantarem recursos para os candidatos que defendem o setor.

Prazo para declarar Imposto Territorial Rural termina dia 30

Termina no próximo dia 30 o prazo para declaração do Imposto Territorial Rural (ITR) de 2010. Os sindicatos rurais patronais de todo o estado estão mobilizados para auxiliar os proprietários de imóveis rurais. Funcionários dos sindicatos foram treinados pela Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e estão habilitados para prestar o atendimento. Estão obrigados a declarar pessoas físicas ou jurídicas proprietárias de áreas rurais. A entrega pode ser feita à Receita Federal pela internet, em disquete nas agências do Banco do Brasil ou Caixa Econômica ou em formulário nas agências e lojas franqueadas dos Correios. A edição de setembro do informativo da Faep traz um manual com orientações sobre a declaração. O boletim pode ser acessado no portal da Faep na internet.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]