Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Uma massa de ar frio polar avança pelo estado. Frio será intenso na quinta-feira (9) e no domingo (12). | JONATHAN CAMPOS/Agência de Notícias Gazeta do Povo
Uma massa de ar frio polar avança pelo estado. Frio será intenso na quinta-feira (9) e no domingo (12).| Foto: JONATHAN CAMPOS/Agência de Notícias Gazeta do Povo

O Paraná vai amanhecer com temperaturas abaixo de zero com incidência de geadas em diferentes regiões nesta terça-feira (7). Segundo os meteorologistas, o fenômeno será causado pela chegada de uma massa de ar frio polar continental que vai ficar estacionada sobre o estado até sexta-feira (10), quando outra massa deve reforçar e provocar mais geadas no início da próxima semana.

De acordo com o meteorologista Luiz Renato Lazinski, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as geadas mais intensas, de grau moderado, serão registradas na quinta-feira (8) e no domingo (12), em quase todas as regiões do estado, com exceção do Norte e do Litoral. “Nesta terça-feira teremos geada de grau leve no Centro-Sul e no Leste do estado”, afirma. Segundo Lazinski, o último registro de uma massa de ar tão forte foi em julho de 2000. Nestes dois dias, as temperaturas podem chegar a -4 ºC em algumas cidades.

O cenário coloca em risco culturas como o milho safrinha, o café e os hortifrutigranjeiros, que vão exigir cuidados específicos para evitar danos.

Para o analista de milho do Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab), Edmar Gervásio, quase 50% das lavouras de milho safrinha estarão suscetíveis à geada desta semana. “Em Cascavel, por exemplo, se concentram 380 mil hectares de milho safrinha. E isso é preocupante. Ainda é cedo para falar em perdas, mas o alerta existe”, afirma.

Julho de 2000

Segundo o meteorologista Luiz Renato Lazinski, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), embora seja mais fraca, não se observava uma massa de ar tão intensa há 16 anos.

Na Região Metropolitana de Curitiba, onde é produzido um terço das hortaliças e 23% das frutas do estado, a preocupação é com os morangos. “Temos uma produção razoável. Uma geada forte pode mexer com o mercado”, diz o técnico do Deral, Paulo Andrade. “As consequências nas hortaliças vão depender da localidade, intensidade e da proteção da produção”, explica o agrônomo Carlos Eduardo Salvador.

Todo o ano, a partir do mês de maio, muitos produtores de café, outra cultura muito suscetível ao frio, adotam o ‘chegamento de terra’ (amontoar terra no tronco até o primeiro par de folhas ou ramos), nas plantas com menos de dois anos, como medida preventiva.

O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), que divulga diariamente o Alerta Geada, está monitorando com atenção o movimento da massa polar que se aproxima do Paraná. De acordo com a meteorologista Angela Beatriz Costa, é preciso ter muito cuidado antes de emitir um alerta de geada. “Custa caro para o produtor proteger a lavoura. Mas estamos monitorando e, se houver necessidade, vamos emitir com 72 horas de antecedência”, diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]