Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Em receita, o resultado ficou em US$ 2,602 bilhões, saldo 12,3% menor que os US$ 2,966 bilhões obtidos em igual intervalo de 2017. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Em receita, o resultado ficou em US$ 2,602 bilhões, saldo 12,3% menor que os US$ 2,966 bilhões obtidos em igual intervalo de 2017.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

As exportações brasileiras de carne de frango atingiram 333,2 mil toneladas em maio, queda de 4,7% em relação ao igual período de 2017, informou nesta quinta-feira, 21, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Com os embarques, o País faturou US$ 517,6 milhões, montante 13% inferior aos US$ 594,8 milhões registrados no ano anterior. Os dados consideram todas as linhas de produtos entre in natura e processados.

No acumulado do ano, o resultado também foi negativo. O volume de vendas da proteína alcançou 1,601 milhão de toneladas no intervalo de janeiro a maio, redução de 8,5% quando comparado ao total de 1,750 milhão de toneladas embarcado nos cinco primeiros meses do ano passado.

Em receita, o resultado ficou em US$ 2,602 bilhões, saldo 12,3% menor que os US$ 2,966 bilhões obtidos em igual intervalo de 2017.

“Os efeitos da paralisação dos caminhoneiros serão sentidos somente nos levantamentos realizados em junho, por causa da metodologia de estatísticas de exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços”, ressalta Francisco Turra, presidente da ABPA, em nota, sem dar detalhes sobre os fatores que levaram ao desempenho negativo das exportações de frango ao longo do ano.

O diretor executivo da entidade, Ricardo Santin, acrescenta que o crescimento nos embarques para a China, em 12%, e para países como Jordânia, Iêmen, África do Sul, Coreia do Sul e Chile “ajudou a reduzir o desempenho menor registrado em outros mercados”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]