Expedição Safra

Com apenas 10% das rodovias asfaltadas, Paraguai vai aumentar produção em 50%. Como?

Crescimento das áreas agrícolas e aumento da tecnologia motiva aumento do investimento em logística. Malha hidroviária chega a dar inveja a países desenvolvidos

Albari Rosa/Gazeta do Povo Estrada paraguaia: Paraguai deve aumentar investimentos em logística para dar conta do crescimento da produção agrícola. | Albari Rosa/Gazeta do Povo

Estrada paraguaia: Paraguai deve aumentar investimentos em logística para dar conta do crescimento da produção agrícola.

  • Giorgio Dal Molin

O Paraguai deve se consolidar como um dos maiores produtores de soja e milho do planeta. O motivo? Em dez anos, o país deve ampliar em 50% a produção de ambos os produtos, segundo estimativa da Expedição Safra 2018-19, projeto do Agronegócio Gazeta do Povo, que chega ao país nesta segunda-feira.

Na safra passada, a produção de soja ficou em 9,1 milhões de toneladas e na Safra 2018-19 deve chegar a 9,7 milhões - aumento imediato de quase 7%. Já para o milho, o aumento deve ser de quase 2%, pulando de 4,13 para 4,20 milhões de toneladas.

“Há um potencial muito grande de incremento de área, principalmente na região do Chaco. E cada vez mais o Paraguai aumenta tecnologia e produtividade nas lavouras. Sem contar que eles têm um mercado aberto”, explica Giovani Ferreira, coordenador da Expedição Safra, que na última semana esteve em Minga Porã para o evento de lançamento da expedição no país.

Logística paraguaia

Para dar conta de escoar essa produção que aumenta ano a ano, o país tem fortes desafios. Um deles está nas estradas: apenas 10% estão asfaltadas e 90% seguem por caminhos de terra, segundo divulgou o presidente da Associação Paraguaia de Rodovias, Hugo Florentin, em março.

Apesar disso, o país tem obras de duplicações perto de serem iniciadas. Duas delas estão estimadas para abril de 2019, segundo o Ministério de Obras Públicas e Comunicações do Paraguai. Uma delas está às portas do Brasil: a Ruta 7 parte da cidade de Coronel Oviedo e termina na Cidade do Leste, na Ponte da Amizade e contém 193 km. Outra é a Ruta 2, que liga Assunção a Coronel Oviedo, com 132 km. Dessa maneira, as rodovias que praticamente conectam a fronteira brasileira à capital devem ter estar em melhores condições.

As duplicações e obras logísticas serão importantes ainda para ligar a safra aos portos paraguaios, como explica Giovani Ferreira. Mesmo sem acesso ao mar, a rede hidroviária do Paraguai chega dar inveja a muitos países. O país tem uma rede de 35 terminais de grãos – 24 no Rio Paraguai e 11 no Rio Paraná –, e mais 12 em construção.

Para levantar as boas práticas do setor e trazer informações sobre essa vasta rede hidroviária, o início desse corredor de exportação será o primeiro local a ser visitado no Paraguai, nesta terça-feira (27) pela equipe da Expedição Safra 2018-19: o Porto de Concepción. Fique ligado para mais informações.

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

8 RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA