13ª EDIÇÃO

Expedição Safra retoma a estrada para acompanhar colheita no Brasil e nas Américas

No Brasil, aumento da área plantada deve ajudar a manter níveis elevados de produção, apesar dos problemas causados pela estiagem

Daniel Caron/Gazeta do Povo  | Daniel Caron/Gazeta do Povo
  • Gazeta do Povo

A equipe de técnicos e jornalistas da Expedição Safra – tradicional projeto do Agronegócio da Gazeta do Povo – deu a largada nesta semana para acompanhar a colheita de verão nos principais estados produtores brasileiros e também em países da América do Sul, América Central e América do Norte. O tradicional levantamento técnico-jornalístico, que este ano entra na sua 13ª edição, já rodou as lavouras na época de plantio, entre setembro e dezembro de 2018, e agora volta à campo para diagnosticar o desempenho da safra. As visitas técnicas começam pelas lavouras do Centro-Oeste, nos estados do Mato Grosso do Sul e Mato Grosso – este, o maior produtor nacional de soja.

A previsão inicial da safra 2018/2019 era colher 120,3 milhões de toneladas de soja para uma área plantada de 36 milhões de hectares. Agora é hora de conferir se as expectativas se confirmaram. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgaram na semana passada as projeções para a safra deste ano. Enquanto a Conab estima crescimento de 4,2%, o IBGE espera crescimento de 3,1%.

Analistas de mercado, no entanto, colocam a régua mais embaixo e estimam que o desempenho da safra pode acabar empatando com o ciclo anterior, por causa das chuvas irregulares e da estiagem em regiões do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo em dezembro de 2018. Tudo vai depender, ainda, do comportamento do clima, notadamente na região do Matopiba (áreas agrícolas do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), que planta mais tarde.

Produção maior

Apesar dos riscos ocasionados pela seca que atingiu algumas áreas produtoras, a produção de grãos deve alcançar 237,3 milhões de toneladas: 9,5 milhões de toneladas a mais do que os 227,75 milhões calculados no ano passado, segundo a Conab. A área plantada está prevista em 62,5 milhões de hectares, aumento de 1,2%, em relação ao período anterior.

Segundo a Conab, as boas condições das lavouras nas principais regiões produtoras de grãos são prenúncio de que serão alcançados bons rendimentos nessa temporada, mostrando que a produtividade estimada se manteve até agora próxima ao que havia sido calculado estatisticamente no início da safra.

A produção de soja atualmente enfrenta forte estiagem. Mesmo assim, há projeção de crescimento de 1,7% na área plantada e uma pequena redução de 0,4% na produção, atingindo 118,8 milhões de toneladas ante 119,28 milhões em 2017/18.

O milho primeira safra, que teve aumento de 0,4% na área cultivada, deve resultar em uma produção de 27,46 milhões de toneladas (ante 26,81 milhões em 2017/18). A segunda safra está projetada em 63,73 milhões de toneladas (aumento de 18,1% ante os 53,98 milhões da safrinha de 2017/18). Com esse resultado, a expectativa é que o cereal tenha um desempenho 12,9% superior ao obtido em 2017/18 (80,77 milhões de toneladas), registrando uma produção total de 91,2 milhões de toneladas, quando somadas as duas safras do grão.

KIKO SIERICH/Gazeta do Povo

Roteiro

Entre janeiro e abril de 2019, as equipes da Expedição vão percorrer quase 50 mil quilômetros em 12 estados das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste, conversando com produtores, técnicos e pesquisadores. O roteiro inclui ainda visitas a áreas de produção agrícola no Paraguai, Argentina, Uruguai, México e Estados Unidos.

Além do levantamento quantitativo da safra, verificando tecnologia das lavouras, custos de produção e impacto do clima – o foco de centenas de entrevistas, depoimentos e coleta de dados será entender, e traduzir, os movimentos do mercado e desafios ligados à logística, à comercialização e ao consumo.

Neste ano, a Expedição Safra reforça uma discussão temática do projeto, que também passa pelas engenharias, em especial a Agronomia. A parceria com o Sistema Confea-Crea ajudará a dar ainda mais capilaridade à pesquisa de campo da Expedição, visto que o Confea representa 100 mil profissionais da engenharia agronômica no país.

A Expedição Safra 2018/19 é apresentada pelo Sistema Confea/Crea e Mutua. Com patrocínios da Caixa Econômica Federal, Sementes e Fertilizantes Castrolanda, Agrotec, Alta, Solaris e Sociedade Rural do Paraná. O apoio logístico é do Groupe Renault.

Acompanhe tudo no site da Expedição Safra .

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

8 RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA