Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Agronegócio ainda é raridade em feiras de franquias | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Agronegócio ainda é raridade em feiras de franquias| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Ao caminhar pelos 31 mil m² da ABF Franchising Expo, maior feira de franquias do Brasil que acontece em São Paulo até sábado (24), o visitante pode procurar, mas não vai encontrar: das 400 marcas expositoras, nenhuma atua no agronegócio brasileiro.

Na verdade, apenas duas das mil redes associadas à Associação Brasileira de Franchising (ABF) são do agronegócio. Considerando que a agropecuária tirou o Brasil da recessão, com crescimento de 13,4% no primeiro trimestre, não seria natural que o setor tivesse maior representação?

“O franchising é novo para o agronegócio. Quem está fazendo essa aproximação são as novas gerações, as mesmas que estão trazendo mais tecnologia, gestão e desenvolvimento de produtos”, justifica a diretora regional da ABF no Sul do Brasil, Fabiana Estrela.

A especialista diz que a ausência de franquias agro não é uma exclusividade brasileira. “O agronegócio precisa se diferenciar para ser mais que um fornecedor de commodities e está se dando conta disso. Essa é uma oportunidade para o sistema de franquias”, opina.

Franquias do agronegócio: de onde vem, o que fazem?

A única marca que tem ligação com o agronegócio na feira da ABF é a mexicana Amar Hidroponia, que sequer atua no Brasil. A empresa tem 17 anos e promove franquias em áreas rurais para incentivar a produção e a venda de produtos hidropônicos com técnicas acessíveis para produtores de baixa renda. “Eles vieram conhecer negócios que sejam de interesse para a região de atuação deles”, explica a diretora da ABF.

As duas únicas franquias do agronegócio associadas à entidade são a Dow Agrosciences, de São Paulo, e a H2orta, do Rio Grande do Sul. A primeira tem foco no fornecimento de serviços de controle de pragas a partir da biotecnologia. Já a H2orta fornece saladas hidropônicas a supermercados, sendo que as unidades da franquia atendem ao varejo da região onde estão instaladas.

“É como uma franquia industrial, mas sem maquinário. A empresa vende a tecnologia do processo de hidroponia para embalagem, e o franqueado faz o fornecimento para o mercado”, explica Fabiana Estrela, que apoiou a empresa durante o processo de associação à ABF.

Outras duas empresas que trabalham com franquias e agronegócio são a MasterGeo e a Geeap, ambas de Minas Gerais. A Geaap fornece serviços de agricultura de precisão. Já a Mastergeo oferece serviços de análise de terrenos.

Segundo Estrela, é importante que o agronegócio compreenda que é possível tanto fornecer soluções para o consumidor quanto para outras empresas - como é o caso da H2orta. “Elas podem ser fornecedoras até mesmo do próprio sistema de franchising, que tem forte atuação na área de fastfood e alimentação em geral”, indica a diretora. Ela sugere que as empresas avaliem diferentes modelos para prospectar mais negócios.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]