i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Cooperativismo anticrise

  • PorCarlos Guimarães Filho
  • 26/10/2015 18:00

Os diversos setores da economia brasileira têm condições concretas de manter os investimentos e gerar empregos, apesar da recessão que assola o país. A afirmação tem lastro no exemplo da manutenção dos projetos de crescimento das cooperativas do Paraná. A matéria de capa da edição desta terça-feira do Agronegócio Gazeta do Povo mostra que o setor segue cortando faixas de inauguração de indústrias e contratando mão de obra, inclusive de outras regiões, em meio a crise que desestabiliza parte considerável do Brasil.

Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram claramente que 70% das 20 cidades que mais geraram emprego em 2015 têm ligação direta com a atividade agropecuária cooperativista. Reflexo direto do início da operação de novos frigoríficos, indústrias de processamento de grãos e até mesmo abertura de cargos administrativos nas próprias cooperativas.

Claro que isso tem relação direta com a oferta de dinheiro “barato” - abaixo dos juros praticados no mercado - a que as cooperativas têm acesso. Mas vai além dessa leitura simplista. O setor se planejou, inclusive com a possibilidade de enfrentar crises, como está ocorrendo. Neste caso, com o câmbio favorável, a busca por clientes no exterior foi intensificada. Mais, os profissionais que hoje estão a frente das cooperativas se profissionalizaram. Questões relativamente simples, mas ao que parece, muitas empresas de outros segmentos ainda precisam aprender com o agronegócio paranaense.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.