i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
comércio

Acordo com EUA eleva exportação de carne em US$ 900 milhões

A abertura do mercado americano dá oportunidade de negociações para a carne brasileira com outros países, como Japão, Coreia e Canadá

    • Estadão Conteúdo
    • 02/08/2016 09:27
    O acordo fechado na semana passada nos Estados Unidos permite que o Brasil passe a exportar carne bovina in natura para os EUA. | /
    O acordo fechado na semana passada nos Estados Unidos permite que o Brasil passe a exportar carne bovina in natura para os EUA.| Foto: /

    As exportações brasileiras de carne bovina in natura poderão crescer cerca de US$ 900 milhões no longo prazo, após a abertura do mercado dos Estados Unidos, ao final de um processo de negociação que levou 17 anos. Foi o que informou ontem o ministro das Relações Exteriores, José Serra, em cerimônia no Palácio do Planalto para comemorar a medida. “Nesses 80 dias fizemos coisas boas no governo e a principal foi escolher os ministros”, disse o presidente em exercício, Michel Temer, após elogiar o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

    Para o titular da Agricultura, a abertura do mercado americano dá oportunidade de negociações para a carne brasileira com outros países, como Japão, Coreia e Canadá. Ele disse que em setembro planeja uma viagem para a Ásia que pode abrir mercados. “No mês de setembro temos uma viagem para a Ásia; vamos ficar 20 dias na região. Será uma missão de empresários, liderados pela Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne), e esperamos que possamos fechar e prospectar negócios”, disse.

    Presente ao evento, a embaixadora dos Estados Unidos, Liliana Ayalde, que fez a troca de cartas de reconhecimento de equivalência dos controles oficiais de carne bovina entre os dois países, disse que Brasil e EUA são os maiores países em produção agrícola e que têm os mesmos desafios. “Acho que em conjunto podemos fazer muito”, afirmou. Segundo ela, os dois países têm “uma gama de áreas” que estão sendo trabalhadas em conjunto para identificar onde é possível retirar barreiras burocráticas.

    Cota

    O acordo fechado na semana passada nos Estados Unidos permite que o Brasil passe a exportar carne bovina in natura para os EUA, dentro de uma cota de 64,8 mil toneladas por ano. O Brasil deverá disputar essa cota com outros países. Vendas acima dessa cota pagarão uma taxa de 26%.

    Mercado grande e exigente, os Estados Unidos só importavam, até agora, carne industrializada e aquela produzida em Santa Catarina, Estado que não precisa de vacinas para controlar a febre aftosa. Com o acordo, poderá ser embarcada carne produzida em outros Estados, desde que eles cumpram os requisitos técnicos e sanitários exigidos nos acordos.

    Maggi acredita que o País chegará a exportar cerca de 60 mil toneladas no ano que vem. Em 2015, as compras feitas pelos americanos somaram US$ 286,8 milhões, considerando apenas as carnes industrializadas. A expectativa da área técnica é que os primeiros embarques ocorram em 90 dias. Mas o ministro disse acreditar que o prazo será antecipado.

    “A partir do momento das publicações, já está liberado para trânsito de mercadorias do Brasil para os EUA e dos EUA para o Brasil”, disse o ministro Blairo Maggi. “Estabelecemos prazo inicial de 90 dias, mas me parece que com documentação hoje entregue esse mercado ficará aberto muito rapidamente”.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.