PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Pecuária
  3. Aves
  4. Fiscais apontam “imundície” em granja que provocou surto de salmonela nos EUA
vigilância sanitária

Fiscais apontam “imundície” em granja que provocou surto de salmonela nos EUA

Relatório de fiscalização aponta que avícola dos EUA era infestada por ratos e moscas e que funcionários não observavam práticas de higiene

Arquivo/Gazeta do Povo Irregularidades constam de relatório de fiscalização do FDA, equivalente à Agência de Vigilância Sanitária no Brasil | Arquivo/Gazeta do Povo

Irregularidades constam de relatório de fiscalização do FDA, equivalente à Agência de Vigilância Sanitária no Brasil

  • Da redação, com informações do The Washington Post

Antes da avícola americana Rose Acre Farms fazer o recall de 207 milhões de ovos produzidos na Carolina do Norte, na semana passada, fiscais do FDA (espécie de Vigilância Sanitária dos EUA) apontaram que a unidade responsável pelo surto de salmonela não observava mínimas condições sanitárias e estava infestada com ratos e moscas.

“A falta de práticas de higiene entre os funcionários e as condições sanitárias deficientes criaram um ambiente que permitiu a instalação, proliferação e infestação de imundície e patógenos com potencial de contaminar os equipamentos e os próprios ovos”, diz o relatório de 11 de abril.

O relatório afirma que foram encontradas “atividades inaceitáveis de roedores dentro de um aviário” e que a forma de controle adotada pela empresa não deu resultados satisfatórios, já que havia ratos circulando, ratos mortos e ninhadas de filhotes em vários locais da inspeção.

A avícola fez um recall voluntário de ovos da unidade depois que 20 consumidores adoeceram por infecção com salmonela. Foi o maior recall do setor de ovos nos Estados Unidos desde 2010, quando mais de 550 milhões foram recolhidos de duas fazendas em Iowa, segundo o site Food Safety News.

O porta-voz da Rose Acre Farms, Gene Grabowski, afirmou que o relatório do FDA “foi baseado em observações grosseiras e, em alguns casos, fora do contexto apropriado”. A empresa prepara uma resposta formal à inspeção e, até que isso aconteça, pede a todos que “aguardem a apresentação dos fatos antes de se apressar em fazer um julgamento”.

Em anotações feitas no dia 28 de março, os fiscais federais observaram “gotejamento de condensação nos encanamentos e nas paredes, caindo sobre as esteiras de ovos e fazendo poças de água no chão”.

Além disso, durante a inspeção, “vários funcionários foram observados colocando as mãos no rosto, no cabelo, entre as nádegas e em superfícies sujas, e em seguida tocando esteiras e caixas de ovos sem trocar as luvas ou lavar as mãos”. Uma escova de aço usada para limpar o maquinário estava guardada com uma pá de lixo junto a uma poça d’água, “flutuando em meio à sujeira e ao lodo”.

Em outra visita, os fiscais afirmaram ter visto “pelo menos 25 insetos voadores” dentro da área de processamento, pousando sobre os alimentos e esteiras.

O recall, feito após as investigações apontarem o local como origem do surto de salmonela, representa 90 dias de produção da Rose Acre Farms, que recolhe diariamente 2,3 milhões de ovos.

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

8 RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA