PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Pecuária
  3. Aves
  4. Sobe para 35 o número de doentes por surto de salmonela nos EUA
vigilância sanitária

Sobe para 35 o número de doentes por surto de salmonela nos EUA

Apesar de recall de 207 milhões de ovos no mês passado, continuam a surgir casos de contaminação, principalmente nos estados de Nova York e Virginia

Jonathan  Campos /Gazeta do Povo 207 milhões de ovos tiveram  de ser recolhidos por causa de contaminação | Jonathan  Campos
/Gazeta do Povo

207 milhões de ovos tiveram de ser recolhidos por causa de contaminação

  • The Washington Post

Pelo menos 35 pessoas adoeceram após o surto de salmonela que exigiu um recall de 207 milhões de ovos de galinha na Costa Leste do Estados Unidos. Nenhuma morte foi registrada, mas 11 pessoas tiveram de ser hospitalizadas, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDCP).

No mês de abril, a avícola Rose Acre Farms fez o recall de vários lotes de ovos após uma investigação federal ter descoberto que a unidade da empresa, na Carolina do Norte, foi responsável pela contaminação. Os ovos infectados foram vendidos sob várias marcas, como Great Value, Country Daybreak e Crystal Farms.

A maior parte das vítimas mora nos estados de Nova York e Virginia. A Rose Acre Farms é uma empresa familiar que mantém 3 milhões de galinhas poedeiras produzindo 2,3 milhões de ovos por dia.

Ao jornal Indianapolis Star, o diretor de operações da empresa, Tony Wesner, fez a seguinte declaração: “Pedimos desculpas por quaisquer preocupações que tenhamos causado aos consumidores, ao não atender adequadamente aos padrões de qualidade da agência de Administração de Alimentos e Remédios (FDA), e esperamos fazer melhor no futuro”.

A empresa começou um programa de treinamento dos empregados e criou o cargo de “gerente de controle sanitário”. Nos anos 90, a Rose Acre Farms esteve envolvida em outro surto de salmonela, que adoeceu 450 pessoas em três estados americanos. A avícola ficou proibida de vender ovos de suas granjas em Indiana, de onde partiu o surto de salmonela, e foi obrigada a fazer investimentos em equipamentos de higiene e sanidade. Seguiu-se uma briga nos tribunais em que o governo foi condenado a indenizar a empresa em US$ 6 milhões por lucros cessantes. A sentença foi reformada em segunda instância e o caso acabou arquivado em 2009.

Falta de higiene

O relatório da inspeção dos fiscais do FDA à unidade da Carolina do Norte apontou que o local não observava mínimas condições sanitárias e estava infestado com ratos e moscas.

“A falta de práticas de higiene entre os funcionários e as condições sanitárias deficientes criaram um ambiente que permitiu a instalação, proliferação e infestação de imundície e patógenos com potencial de contaminar os equipamentos e os próprios ovos”, diz o relatório de 11 de abril.

A salmonela pode se propagar pela falta de higiene na manipulação de alimentos derivados de animais, como carnes, leite e ovos, assim como em frutas e vegetais. Em adultos saudáveis, costuma causar febre, diarreia, náusea, vômito e dor abdominal, mas em crianças menores de 5 anos, idosos e doentes, que têm sistema imunológico mais frágil, as infeções podem ser fatais.

De acordo com o CDCP, contaminações por salmonela adoecem todos os anos 1,2 milhão de pessoas nos Estados Unidos, provocando 23.000 hospitalizações e 450 mortes.

.

Siga o Agronegócio Gazeta do Povo

8 RECOMENDAÇÕES PARA VOCÊ

VOLTAR AO TOPO

NOTÍCIAS POR CULTURA