Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Leticia Akemi/Gazeta do Povo
| Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

A paralisação dos caminhoneiros, em maio, fez o brasileiro gastar muito mais do que o esperado para colocar carne no prato em junho. Com entregas abaixo do normal nos frigoríficos, supermercados e açougues, o preço subiu 4,6% no mês.

O impacto da crise nas estradas ocorreu justamente em um período em que o custo para o consumidor deveria estar mais baixo devido ao final da safra, segundo o pesquisador Thiago de Carvalho, do Cepea (Centro de Estudos em Economia Aplicada), da USP. “A greve ocorreu no momento em que a oferta iria aumentar”, diz. “Mas o consumidor ficou sem essa baixa no preço”, comenta.

Com a redução das pastagens a partir de junho, produtores esperam que a carne ainda suba até 7% neste ano, segundo a Abrafrigo (associação de frigoríficos). Em junho, a inflação geral foi de 1,26%, a maior para o mês em 23 anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]