(Divulgação/Volkswagen)
(Divulgação/Volkswagen)| Foto:

Não era segredo que esta edição do Salão de Frankfurt, que abre suas portas ao público nesta quinta-feira (12), contaria com muitos modelos elétricos. Afinal, a cada ano, o cerco ao redor dos motores a combustão se fecha um pouco mais e a indústria teme que novas regulações contra a poluição provoquem impacto nas vendas.

Mas está sendo mais do que isso: os “veículos verdes” tornaram-se as verdadeiras estrelas do evento e algumas marcas que até agora seguiam apenas com os modelos à combustão estão aproveitando o momento para estrear no universo eletrificado.

Um exemplo é a Volkswagem, que além de apresentar o modelo ID.3, declarou que vai investir cerca de 9 bilhões de euros em mobilidade elétrica até 2023 e produzir cerca de 20 modelos diferentes de veículos EV.

Além dela, MINI e Porsche levaram ao salão seus primeiros elétricos. Listamos aqui alguns dos lançamentos verdes apresentados por lá - e mostramos quais devem chegar ao Brasil.

Confira:

Volkswagen ID.3
(Divulgação/Volkswagen)
(Divulgação/Volkswagen)

Depois de anos de preparação, a Volkswagen está finalmente lançando sua família de modelos puramente elétricos. O primeiro carro apresentado é o hatch família ID.3. De acordo com a marca, o modelo terá três versões.

A de entrada virá com bateria de 45 kWh e terá autonomia de 330 quilômetros. Em seguida, virá a versão com bateria de 58 kWh, que poderá rodar por até 420 quilômetros sem recarga. Por fim, no topo de linha, a versão com bateria de 77 kWh e 55 quilômetros de autonomia.

A VW divulgou ainda que seu primeiro modelo elétrico deverá custar menos que 30 mil euros - algo em torno de 135,25 mil reais - na versão de entrada.

De acordo com a marca, a probabilidade do ID.3 chegar ao Brasil é pequena. Porém, o presidente da Volks, Pablo Di Si, afirmou que a versão elétrico do Up! pode desembarcar por aqui - e salvar o futuro do modelo no país.

Honda e
(Divulgação/Honda)
(Divulgação/Honda)

O compacto, simpático e elétrico Honda e é a grande aposta da fabricante para um carro urbano - e sustentável. Ele terá duas opções de motor, que ficará no eixo traseiro: uma de 100 kW, que equivale a 136 cv, e outra de 113kW, que corresponde a 154 cv, ambas com torque de 32,1 kgfm.

A bateria, de 35,5 kWh, oferece alcance de até 220 quilômetros a partir de uma única carga e pode ser parcialmente carregada (80%) em 30 minutos. Pensado para atender as necessidades das cidades europeias, o modelo não deve chegar ao mercado brasileiro.

MINI Cooper SE
(Divulgação/MINI)
(Divulgação/MINI)

O primeiro modelo totalmente elétrico da MINI foi apresentado em julho, mas faz sua primeira aparição pública em Frankfurt - e deve começar a sair das fábricas para as lojas em novembro.

Com design baseado no MINI hatch de três portas, o modelo vem equipado com motor elétrico capaz de entregar 184cv de potência e bateria de 32,6 kWh, a qual garante até 270 quilômetros de autonomia.

A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 7,3 segundos,  a velocidade máxima é de 150 km/h.

De acordo com a marca, há estudos para a comercialização do modelo no Brasil em 2021. Porém, de acordo com o G1, o lançamento está confirmado para o fim de 2020.

Porsche Taycan
(Divulgação/Porsche)
(Divulgação/Porsche)

O sedã esportivo da Porsche - primeiro modelo da marca que usa um motor totalmente elétrico - é baseado nos conceitos do Mission E e segue as linhas de design da marca. Ele virá em duas versões, a Turbo e a Turbo S.

A primeira tem motor que entrega o equivalente a 680 cv de potência e 86,6 kgfm de torque, precisando de apenas 3,2 segundos para ir de zero a 100 km/h. A bateria tem capacidade de 93,4 kWh, garantindo autonomia de 412 quilômetros.

A Turbo S tem uma autonomia um pouco maior: 450 quilômetros. Além disso, conta com motor que entrega o equivalente a 760 cv e 107 kgfm de torque, indo de zero a 100 km/h em apenas 2,8 segundos.

Apesar de não roncar como um superesportivo, o modelo foge à regra dos elétricos e conta com um câmbio de dupla embreagem e duas marchas.

No Brasil, a pré-venda começa no primeiro semestre de 2020 com entregas agendadas para o segundo semestre. Por aqui, o modelo não deve sair por menos de R$ 800 mil.

smart EQ fortwo e forfour
(Divulgação/Daimler AG)
(Divulgação/Daimler AG)

Com o lançamento das versões elétricas dos dois modelos, a smart dá adeus aos motores à combustão. Para isso, a marca fez um acordo com a chinesa Geely, que passou a ter 50% das ações e ficou responsável pelos trem de força dos modelos.

Os modelos vêm com motor que entrega o equivalente a 82 cv, permitindo uma aceleração 0 a 100 km/h em 5,5 segundos. Ele é alimentado por uma bateria de 17,6 kWh que permite autonomia de 140 a 159 quilômetros.

A smart esteve no Brasil até 2014 e, apesar de ter trazido uma unidade do forfour ao Salão de São Paulo, em novembro de 2018, a marca não tem plano de voltar ao mercado brasileiro.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]