| Daniel Castellano/Gazeta do Povo
| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Tão desagradável quanto acordar cedo e ter de sair debaixo do cobertor quentinho é entrar no carro, girar a chave e nada do mo­­tor pegar.

Quem possui carro flex e não tem o cuidado de checar o ní­­vel de reservatório de partida a frio (para os modelos que ainda trazem o dispositivo), provavelmente já passou por essa situação.

Quando abastecidos com etanol, os modelos bicombustíveis podem não funcionar depois de ficarem parados à noite ou durante o dia todo se não houver manutenção cor­­reta.

LEIA MAIS: Confira os 20 carros novos que mais desvalorizam no Brasil

O me­­canismo entra em ação quando a temperatura ambiente fica abaixo de 12°C, na média dos modelos de veículos vendidos no país.

Reservatório de partida a frio.

Para evitar surpresas nas ma­­nhãs e fim de tarde com baixa temperatura, a dica é trocar o combustível do sistema de partida a frio a cada 60 dias.

E dê preferência para o uso de gasolina aditivada ou premium. Ela contém maior octanagem (índice de resistência a detonação dos combustíveis) do que a gasolina comum, o que facilita a combustão dentro da câmara.

LEIA MAIS: De Sandero a Ferrari, confira os carros campeões de consumo no Brasil

Dicas para evitar que o veículo não entre numa gelada

Reabastecer o tanquinho

Para quem tem carro flex com tanque de partida a frio, observe se há gasolina no compartimento reserva. O combustível deve ser trocado no mínimo a cada 60 dias e de preferência ser aditivado ou de alta premium (Podium, da Petrobrás, V-Power, da Shell, Premium, Ipiranga, etc)

Com o tempo, a gasolina pode perder o poder de queima, ficar velha e o carro deixa de ligar em temperatura abaixo de 12°. Quem abastece o veículo por muito tempo com gasolina e, depois, volta a usar o álcool, deve estar atento ao período em que a gasolina do tanquinho está ali.

Problema de vazamento

A manutenção do carro deve incluir a verificação de possíveis vazamentos no sistema de partida a frio.

Velas ‘apagadas’

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/27/Automoveis/Imagens/Cortadas/Vela ignição-ky6H-ID000002-1024x683@GP-Web.jpg

Além do tanquinho vazio ou com gasolina envelhecida, outra situação que dificulta a partida do veículo é quando as velas de ignição estão com a vida útil ultrapassada e com excesso de desgaste. Nestes casos, o desempenho do carro fica comprometido.

Bateria desgastada

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/27/Automoveis/Imagens/Cortadas/Bateria-ky6H-U201464818923nE-1024x685@GP-Web.jpg

Os automóveis que percorrem menores distâncias tendem a apresentar um desgaste mais rápido da bateria. Caso você ande em média até 25 minutos por dia, o problema pode estar no componente que distribui a energia. Nos dias frios, o motor exige mais da bateria, o que também diminui a vida útil do componente.

Revisão regular

Outra dica que vale para todas as épocas do ano é manter a revisão do carro em dia. Trocar os filtros do ar-condicionado ao menos duas vezes no ano também é importante para não acumular ácaros, fungos e bactérias.

SE O CARRO NÃO PEGAR...

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/27/Automoveis/Imagens/Cortadas/Dar a partida-kdwC-U20146481892G9D-1024x774@GP-Web.jpg

Não insista em ligar o motor, caso não funcione. Isso pode encharcar as velas. Se o problema ocorrer, é preciso aguardar com o carro desligado até que o combustível evapore. Isso pode demorar uns 30 segundos.

Reconhecer o combustível

Quando o veículo está abastecido com etanol e é feita a troca para a gasolina, ou vice-versa, é necessário dirigir de 5 a 10 km antes de estacionar por longo período. O sistema eletrônico do motor precisa de um tempo para reconhecer o novo combustível.

Pise na embreagem na partida

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/27/Automoveis/Imagens/Cortadas/Pise embreagem-kMUH-U20146481892J3H-1024x768@GP-Web.jpg

Pise no pedal de embreagem sempre que der as primeiras partidas. Em dias frios, o óleo do cárter fica mais denso e, assim, o sistema de arranque fará menos esforço para acionar o motor.

Espere para acelerar

Espere de um a dois minutos antes de acelerar e de colocar o carro em movimento. Esse tempo permite que o óleo depositado no cárter circule pela parte superior do bloco e garanta a perfeita lubrificação do motor.

Injeção eletrônica

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2016/04/27/Automoveis/Imagens/Cortadas/Luz espia ignição-ky6H-U20146481892rtG-1024x580@GP-Web.jpg

Nos modelos com injeção eletrônica de combustível não é preciso acelerar logo em seguida à partida, pois essa função é feita pelo afogador automático. Na foto, a luz espia que aparece no painel e indica o sistema de injeção.

Rampa exige motor mais ‘quente’

Quem deixa o automóvel em garagens ou estacionamento com rampas deve aguardar o motor esquentar alguns segundos a mais para então partir. Motor muito frio fica sem força e o carro encontra mais dificuldade para vencer as subidas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]