Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Jonathan CamposGazeta do Povo
| Foto: Jonathan CamposGazeta do Povo

O estacionamento do Hospital Erasto Gaertner foi transformado em palco de festa na manhã desta sexta-feira (13), quando cerca de 700 harleyros, além de pacientes, funcionários do hospital e policiais militares participaram da entrega das doações arrecadadas durante o Outubro Rosa Curitiba, iniciativa de grupos de proprietários de motos da marca que visa conscientizar sobre o câncer de mama. 

Entre os presentes estava o harleyro curitibano Maurício Suman, que teve uma contribuição de peso na arrecadação de doações. “O Rafael [Magosso, idealizador da ação] e eu fomos até a indústria farmacêutica onde eu trabalhava, e conseguimos uma doação de aproximadamente 23 mil caixas de medicamento”, conta. 

LEIA TAMBÉM: Paixão por moto faz harleyra atropelar o câncer de mama e realizar um sonho

Jonathan CamposGazeta do Povo

Com a doação, que equivale a aproximadamente R$ 700 mil, o evento bateu um recorde: arrecadou quase R$ 2 milhões, que serão empregados na revitalização do banco de sangue do Hospital e na criação de um ambulatório de especialidades.  

Esta foi a primeira vez que Suman ajudou a organização do Outubro Rosa Curitiba, mas é apenas um pedaço da história do harleyro em relação ao tema câncer de mama. “Em 2010 minha esposa fez um autoexame e detectou um nódulo no seio. Passou uma semana e aquilo tomou conta de todo o seio dela e os exames comprovaram que era câncer de mama”, conta ele.  

Depois de perder a esposa para o câncer de mama, Maurício Suman encontrou dentro do seu grupo de harleyros uma forma de conscientizar as pessoas sobre a importância dos exames preventivosJonathan CamposGazeta do Povo

No fim daquele ano, depois de passar por uma mastectomia e por todo o tratamento, ela foi considerada curada, mas em fevereiro foi diagnosticada uma metástase. “Os médicos detectaram que era câncer de mama triplo-negativo, que é muito agressivo e muito raro em mulheres mais jovens”, lembra. A esposa de Suman, que tinha 39 anos na época, veio a falecer em setembro.  

Hoje, Suman encara sua participação como uma pequena forma de doação que faz uma grande diferença para aqueles que estão em tratamento. “Precisamos aprender a nos doar um pouco. Ainda mais eu, que passei por um processo de um ano e oito meses de luta. Você vê os pacientes, o sacrifício que eles fazem para vir participar, então não custa nós nos doarmos um pouco”, reflete.  

Conscientização e mudanças no hospital 

Jonathan CamposGazeta do Povo

Esta é a quarta e maior edição do evento Outubro Rosa Curitiba. Ao todo, 1.681 harleyros se inscreveram e estão na cidade para participar do evento relacionados à ação, que envolvem passeios pela cidade, shows com a Banda da Polícia Militar e o grupo Skank, e um grande desfile de motos do Centro de Curitiba até o Autódromo Internacional, que acontece neste sábado (14), a partir das 11h45. 

“Em 2014, fizemos um espetinho simples, vendemos 60 bandanas a R$ 10 e doamos R$ 600 para o Erasto. Em 2015, fizemos uma feijoada para 400 pessoas e atingimos R$ 58 mil, reformamos a ala de endoscopia e passamos de 70 para 300 atendimentos por mês. Ali despertou e resolvemos convidar pessoas de todo o Brasil. No ano passado conseguimos 496 mil”, conta o idealizador do evento e membro do Hog The One, Rafael Magosso. 

Para representantes do hospital, é importante não esquecer do estreitamento da relação entre a sociedade e a instituição e da conscientização sobre as doenças. “Nossa gestão tinha como objetivo trazer a sociedade organizada para dentro do hospital para mostrar o que está acontecendo, e conseguimos.

E embora o Outubro Rosa seja sobre o câncer de mama, aproveitamos para espalhar ideias sobre saúde preventiva da mulher”, diz o superintendente da Liga Paranaense de Combate ao Câncer/Hospital Erasto Gaertner, Adriano Lago.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]