Bebidas

Capa

30 vinhos para começar sua adega em casa

Convidamos cinco especialistas em vinhos para te ajudar a montar uma coleção

por Andrea Torrente Publicado em 12/06/2014 às 03h
Compartilhe
“Reserve a metade da adega para os tintos, um quarto para os brancos e o restante para champagnes, espumantes e vinhos de sobremesa.” Guilherme Rodrigues.Foto: Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

“Reserve a metade da adega para os tintos, um quarto para os brancos e o restante para champagnes, espumantes e vinhos de sobremesa.” Guilherme Rodrigues.Foto: Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

 

O sonho de todo apreciador de vinhos é ter uma adega na própria casa. A paixão pelo deus Baco pode nascer de várias formas, mas toda história de amor termina sempre da mesma maneira: reservando um cantinho do lar para alimentar a chama. Montar uma adega pode parecer uma tarefa simples, mas com mais de 30 mil rótulos disponíveis no mercado, segundo a Associação Brasileira dos Exportadores e Importadores de Bebidas e Alimentos, de onde começar para escolher as garrafas certas?

O Bom Gourmet convidou cinco especialistas em vinhos para escolher os 30 rótulos que não podem faltar numa adega. Quem conduziu o desafio foi o advogado e enófilo, Guilherme Rodrigues, também membro de confrarias internacionais e colunista da nossa revista. O grupo se reuniu para um jantar preparado pelo chef Dudu Sperandio, do Ernesto Ristorante, na cozinha do Bom Gourmet. Como era de se esperar, a discussão foi demorada e a escolha difícil. Após os rótulos passarem por um pente fino, os especialistas chegaram a um consenso e elaboraram a lista. A adega, que ultrapassa os R$ 30 mil, foi dividida da seguinte forma: 13 vinhos tintos, dez brancos, quatro rótulos entre champagnes e espumantes, dois vinhos do porto e um de sobremesa. “Obviamente é só um ponto de partida. Uma coleção como essa deve ser montada ao longo do tempo com periódicos investimentos”, recomenda Rodrigues. Por exemplo, comprando uma garrafa por mês ou aproveitando uma viagem ao exterior onde o preço é mais em conta.

Alguns vinhos são difíceis de encontrar no Brasil ou tem um preço alto, “mas faz parte de toda boa adega e de um bom apreciador ir atrás de joias raras”, complementa o enófilo. Nem sempre, porém, é preciso gastar muito para ter um bom vinho. “Os que harmonizam com comida, por exemplo, não necessariamente são os mais caros”, explica Luiz Carlos Zanoni. Por isso, na seleção não entraram apenas rótulos estrelados e caros, mas também, e principalmente, os melhores em custo-benefício, de diversas faixas de preços, castas e regiões vinícolas.

Tudo também depende da finalidade. Um almoço de domingo por exemplo, pede um bom vinho, mas sem exageros. Já um jantar com amigos, requer algo especial para surpreender os convidados. Uma grande celebração merece, sem dúvida, aquele champagne dos sonhos. O objetivo da lista foi exatamente trazer essa variedade. Confira a nossa seleção que traz comentários de Guilherme Rodrigues.

Tintos

 

Brancos

 

Sobremesa

 

Porto

 

Champagne e espumantes

 

Jerez

 

>>>> Foram consultados para esta matéria Guilherme Rodrigues,  Luiz Carlos Zanoni, Rodrigo Linné Neto, Andersen Prado e Junior Durski.  Conheça o perfil dos especialistas.

 

>>> Além das garrafas é importante ter os acessórios certos. Veja mais dicas

 

 

***

Serviço

Maison Des Caves. www.maisondescaves.com.br.

Brastemp. www.brastemp.com.br.

Spicy. ParkShoppingBarigüi– (41) 3317-6886.

Benmax. www.benmax.com.br.

Capa/Loja

Roca Utilidades – (41) 3075-9950

Compartilhe

8 recomendações para você