Plantão

Guia Michelin

Alain Ducasse ganha três estrelas no Plaza Athénée

O famoso guia divulgou a lista com 600 estrelados na França em meio ao luto da morte do chef franco-suíço Benoît Violier

por Bom Gourmet Publicado em 01/02/2016 às 18h
Compartilhe
Alain Ducasse guia michelin

O chef francês Alain Ducasse é um dos mais premiados do guia francês. Foto: AFP

O Guia Michelin, a bíblia dos gourmets de todo o mundo, concedeu nesta segunda-feira (1.º) três estrelas a dois estabelecimentos parisienses, o Plaza Athénée de Alain Ducasse e Le Cinq de Christian Le Squer, durante uma premiação marcada pelo luto do suposto suicídio do chef franco-suíço Benoît Violier.

O chef Christian Le Squer, do Le Le Cinq, ganhou a terceira estrela. Foto: AFP

O chef Christian Le Squer, do Le Le Cinq, ganhou a terceira estrela. Foto: AFP

Em contrapartida, a edição 2016 do famoso guia vermelho rebaixou para duas estrelas o restaurante de Alain Ducasse no Le Meurice, um outro hotel de luxo em Paris, bem como o Le Relais Bernard Loiseau, em Saulieu (leste da França). Este estabelecimento é dirigido por Dominique Loiseau, a viúva do chef que cometeu suicídio há 13 anos.

A Diretora de Comunicação do Grupo Michelin, Claire Dorland-Clauzel, falou da inclusão de 12 novos restaurantes no grupo dos duas estrelas. Foto: AFP.

A Diretora de Comunicação do Grupo Michelin, Claire Dorland-Clauzel, falou da inclusão de 12 novos restaurantes no grupo dos duas estrelas. Foto: AFP.

“Estou chocada e muito decepcionada”, reagiu Dominique Loiseau em um comunicado, antes de anunciar que vai trabalhar para obter a terceira estrela, obtida em 1991, de volta junto com sua equipe, liderada atualmente pelo chef Patrick Bertron.

“É uma decisão difícil, mas é parte integrante do nosso trabalho”, explicou Michael Ellis, diretor internacional do famoso guia. “Nós fizemos muitas visitas e estamos absolutamente certos da decisão”, assegurou, desejando que “a casa Loiseau recupere sua estrela o mais rapidamente possível.”

guia michelin 2016 alain ducasse

Funcionários trabalham na cozinha do restaurante Le Relais Bernard Loiseau que perdeu a terceira estrela depois de mais de 20 anos. Foto: AFP.

O diretor internacional do guia Michelin também destacou a atratividade da França para chefs estrangeiros, observando que entre os sete novos “uma estrela” em Paris, três cozinhas são lideradas por chefs japoneses: Neige d’été do chef Hideki Nishi, Pages de Ryuji Teshima e Nakatani do chef Shinsuke Nakatani.

O diretor internacional do Guia Michelin (de preto) posta com os novos uma estrela do noroeste da França: Arnaud Viel, Pascal Favre d'Anne, Frederic Claquin, Yoann Lemonnier, Olivier Valade, Julien Marseault, Lionel Henaff, David Goerne e Arthur Peran. Foto: AFP.

O diretor internacional do Guia Michelin (de preto), Michael Ellis, posa com os novos uma estrela do noroeste da França: Arnaud Viel, Pascal Favre d’Anne, Frederic Claquin, Yoann Lemonnier, Olivier Valade, Julien Marseault, Lionel Henaff, David Goerne e Arthur Peran. Foto: AFP.

Luto

Infeliz coincidência, esta seleção foi anunciada um dia depois da morte de Benoît Violier, encontrado morto no domingo (31) em sua casa perto de Lausanne, na Suíça. Segundo a polícia, ele teria tirado a própria vida, mas as circunstâncias do caso estão sendo investigadas.

O chef franco-suíço de 44 anos estava à frente do restaurante do Hôtel de Ville em Crissier, perto de Lausanne, três estrelas pela edição suíça do Michelin.

Violier também foi coroado em dezembro como o melhor chef do mundo pela nova classificação gastronômica internacional La Liste, que elabora uma lista do que considera as mil melhores mesas do mundo.

Números

— A edição de 2016 traz 600 restaurantes estrelados, nove menos do que a anterior. Com dois entrando e dois de saída, o clube de prestígio de três estrelas continua com 26 mesas, como em 2015.

— A nova seleção não inclui qualquer mulher entre os novos estrelados.

10 novos restaurantes obtiveram duas estrelas, incluindo La Grande Maison, inaugurado pelo chef mais estrelado do mundo, Joël Robuchon, em Bordeaux (sudoeste), em dezembro de 2014.

42 mesas entraram na categoria “uma estrela”. O chef mais jovem da seleção é Angelo Ferrigno, de 23 anos, no La Maison des Cariatides, em Dijon (centro-leste).

— No topo, o chef Christian Le Squer conquistou a terceira estrela para o Le Cinq, restaurante gourmet do Four Seasons Hotel George V, onde chegou em 2014. O chef já havia conquistado o mesmo número de estrelas à frente do Ledoyen.

Compartilhe

8 recomendações para você