Produtos & Ingredientes

McDonald’s tem novo hambúrguer premium

Sanduíche feito com cogumelos e queijo emmental é o segundo da linha “Signature” que aposta em hambúrgueres "gourmet"

por Bruna Covacci Publicado em 15/06/2016 às 12h
Compartilhe
Mushroom Dijon é o novo sanduíche do Mc'Donalds. Foto: reprodução.

Mushroom Dijon é o novo sanduíche do Mc’Donalds. Foto: reprodução.

O McDonald’s lançou na última semana o Mushroom Dijon, hambúrguer “gourmet” que entra para a linha Signature. O sanduíche faz parte da estratégia de investir em “produtos premium”, que surgiu há cerca de dois meses com o lançamento do primeiro Club House. O novo sanduíche é feito com dois hambúrgueres de carne bovina, mostarda tipo dijon, cogumelos caramelizados, queijo emental e bacon rústico, é servido no pão tipo brioche e custa R$ 28,50.

>>> Estúdio Bom Gourmet tem aula de sopas, caldos e cremes

>>> Empresa de Curitiba lança kits delivery para fazer risoto em casa

>>> Confira 14 receitas de hambúrgueres

Com a mudança, a rede de fast food tenta se reposicionar no mercado para atrair outros tipos de clientes. A nova estratégia, segundo a empresa, trouxe crescimento de 8,2% nas vendas no primeiro trimestre do ano. Roberto Gnypek, vice presidente de marketing de McDonald’s no Brasil, explicou em entrevista ao Bom Gourmet que a tendência do consumo de hambúrgueres artesanais é cada vez maior, e tem a ver com o movimento atual do mercado. “A onda de gourmetização nos beneficia. É uma oportunidade de consumo, vemos que o consumidor tem o desejo pelos produtos artesanais, embora isso não deixe o restante da nossa linha em segundo plano”, afirma Gnypek.

Segundo ele, o hambúrguer deixou de ser uma comida “suspeita” e ligada à má alimentação e virou um produto da moda, impulsionado pelas versões criadas por chefs renomados. A nova estratégia da rede é ter sempre três ou quatro produtos premium no cardápio com novidades lançadas a cada três meses. O fast food, porém, não quer competir com as hamburguerias gourmet. Em Curitiba, segundo o gerente, o público que frequenta a rede é das classes AB, maior do que no restante do Brasil e mais exigente. “Acho que é porque a capital tem grandes ofertas de comida a um preço atrativo”, avalia Gnypek

 

Compartilhe

8 recomendações para você