Bebidas

Apenas com um gole

Competição exige que sommelier descubra uva, país e método de produção dos vinhos

Desafio entre profissionais do Paraná teve degustação às cegas de 16 rótulos e harmonização de menu

por Eloá Cruz, especial para o Bom Gourmet Publicado em 01/07/2019 às 16h
Compartilhe

Já imaginou ter que tentar descobrir qual a uva, o país de origem, o método de produção e o nível de açúcar de 16 vinhos diferentes numa degustação às cegas? Foi essa uma das provas do 1º Desafio Paranaense de Sommeliers, que reuniu 20 profissionais do estado, numa competição promovida pelo Centro Europeu na sexta-feira (28).

20 profissionais participaram do 1º Desafio Paranaense de Sommeliers. Foto: Alexandre Mazzo / Gazeta do Povo.

Os participantes foram avaliados em cinco critérios: conhecimentos práticos de vinhos, técnicas de degustação, análise sensorial, conhecimentos em harmonização enogastronômica e serviço do vinho. A classificação foi realizada em duas etapas, uma eliminatória e a final.

Quem venceu e levou o título de melhor sommelier do estado foi Guilherme Balbino, gerente de compras e sommelier da Box 41 Vinhos do Mercado Municipal de Curitiba. Para ele, a análise sensorial foi a parte mais difícil de toda a prova. “A gente tem que estar preparado, foram muitos anos de estudo, de trabalho. Não foi nada fácil”, conta o vencedor.

Na segunda fase da prova, cinco finalistas precisaram criar harmonização de dois menus. Foto: Letícia Akemi / Gazeta do Povo.

Para Balbino, a segunda parte do desafio foi ainda mais complicado. Os cinco profissionais classificados tiveram uma harmonização para fazer, dois menus em situações diferentes: um aniversário de 10 anos de casamento e um encontro de amigas. “A harmonização é meio difícil porque não é uma ciência exata. Eu não tenho uma linha muito clássica, gosto de inovar na harmonização. É muito interpretativo”, explica Balbino.

Se a harmonização clássica entre vinho e pratos já não é fácil, os finalistas também tiveram que levar em conta a ocasião, um tema. “No menu do aniversário de casamento, por exemplo, eu levei em consideração a data festiva e indiquei um espumante. Já no caso do encontro das amigas, como era algo mais informal, optei por vinhos mais em conta”, destaca.

Além de Guilherme Balbino, participaram da disputa: Ademir Siqueira, Luan Feliz da Silva, Welington Gonçalves, Alessandro Pescara, Renato Correia de Oliveira, Micheli Nascimento, Isabela Bernardes Peripolli, Marco Antonio Bimbatti, Lucas Inácio Sibia, André Oliveira, Lívia Maciel, Edinéia Biassi, Luciano Junior Basuc, Ricardo Luiz Treska, Dailton Falcão, José Ricardo Alcaras, José Gomes e Fabio Cardoso.

Vencedor Guilherme Balbino ao lado de Thays Ferrão, organizadora do evento. Foto: divulgação / Centro Europeu.

Sobre o vencedor

Guilherme Balbino é membro co-fundador da confraria Miracolos, que é formada somente por profissionais do vinho em Curitiba. O profissional tem passagem pela loja Vino! e ainda trabalha como consultor para a importadora de vinhos argentinos na capital paranaense. Balbino também participou de feiras e degustações nacionais e internacionais e é um dos colaboradores técnicos dos vinhos Lote18, de produção da vinícola argentina Fournier (atualmente Alfa Crux Vineyerards), de Medoza.

LEIA TAMBÉM

>> Cabernet Sauvignon paranaense escolhido como melhor do Brasil

Compartilhe

8 recomendações para você