Produtos & Ingredientes

consumidor

Proteste encontra fragmentos de insetos em marcas de orégano e granola

A associação avaliou 12 marcas para verificar a presença de matérias estranhas, como ácaros, pelo de roedor e insetos, fossem elas visíveis ou não a olho nu

por Infomoney Publicado em 24/08/2017 às 18h
Compartilhe

A Proteste divulgou nesta semana os resultados de um teste de segurança alimentar feito com amostras de granola, orégano e ketchup. Foram encontrados desde pelo de roedor a inseto morto.

A Proteste informa que os testes foram feitos com base no regulamento técnico da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que estabelece os requisitos mínimos para avaliação de matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas, assim como seus limites de tolerância (RDC 14/2014). Ou seja, segundo a legislação, cada produto pode trazer certa quantidade de corpos estranhos:

Ketchup: máximo permitido de 10 fragmentos de insetos, 5 ácaros e 1 fragmento de pelo de roedor em 100g de amostra.

Orégano: máximo permitido de 20 fragmentos de insetos, 5 ácaros, 20 Insetos inteiros mortos próprios da cultura e 1 Fragmento de pelo de roedor em 10g de amostra.

Granola: máximo permitido de 5 ácaros em 50g de amostra. Não apresenta parâmetros para matérias macroscópicas e microscópicas.

Para verificar a presença de matérias estranhas, como ácaros, pelo de roedor e insetos, fossem elas visíveis ou não a olho nu, a Proteste levou 12 marcas ao laboratório, sendo quatro de orégano (Kitano, Kisabor, Hikari e Santa Cozinha), quatro de granola (Mãe, Terra, Kobber e Jasmine) e quatro de ketchup (Heinz, Helmann’s, Arisco e Quero).

De acordo com os resultados, as amostras das marcas: Kitano (que apresentou 5 fragmentos de insetos em 10g de amostra), Santa Cozinha (que apresentou 15 fragmentos de insetos e 1 inseto inteiro morto em 10g de amostra), Kisabor (que apresentou 11 fragmentos de insetos em 10g de amostra) estão de acordo com a legislação.

No entanto, a marca Hikari revelou a presença de 1 ácaro morto, 28 fragmentos de insetos e 2 insetos inteiros mortos em 10g de amostra, não estando de acordo com a legislação vigente por conter fragmentos de insetos acima do limite especificado pela legislação

Já as amostras de granola das marcas Granatus, Kobber e Mãe Terra não apresentaram nenhuma matéria estranha macroscópica e nem microscópica. Porém, a amostra da marca Jasmine revelou a presença de 1 fragmento de pelo de roedor em 50g de amostra, sendo assim, não está de acordo com a legislação por conter fragmento de pelo de roedor.

Em relação ao ketchup, no teste realizado pela Proteste, não foram encontradas nenhuma presença de matérias estranhas, fossem elas microscópicas ou macroscópicas.

Diante dos resultados do teste, a Proteste pediu a retirada do mercado do lote da granola Jasmine avaliado, assim como o lote do orégano Hikari. “Solicitamos ainda a revisão da RDC 14/2014, pois entendemos que ela é totalmente permissiva e, para garantir tanto o direito quanto a saúde do consumidor, deveria ser bem mais rigorosa”, informa a entidade.

Posicionamento

A Jasmine Alimentos informa que está tomando as providências aplicáveis para enviar as amostras de retenção a um laboratório externo para realização de análises macro e microscópicas do referido lote 170221, quando tomou ciência do ocorrido. “A companhia afirma, com segurança, que os rigorosos controles no processo produtivo garantem a eliminação de qualquer risco ou prejuízo à saúde”, afirma em nota.

LEIA TAMBÉM

Proteste identifica irregularidades em seis marcas de água de coco

Confira a lista de azeites de oliva aprovados pelo Ministério da Agricultura

Proteste encontra fragmentos de inseto no café Melitta

Compartilhe

8 recomendações para você