Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
chefs na quarentena
Receitas que deram errado são o ingrediente principal da página Chefs na Quarentena.| Foto: Reprodução/Instagram

Não, a imagem de abertura da reportagem não está errada. Se você costuma acompanhar o Bom Gourmet de modo recorrente, já se acostumou com as belíssimas fotos de pratos que elevam à máxima potência a experiência de "comer com os olhos". Agora, pense no caminho oposto: o resultado final de uma receita que fica entre o trágico e o cômico. Quem nunca? As experiências gastronômicas nem sempre exitosas vividas por um grupo de seis amigas durante a pandemia rendeu muitas trocas de mensagem e gargalhadas. Não demorou para perceberem o quanto fez bem a forma leve de enxergar as novas experiências dentro de casa, diminuindo a tensão do momento, e resolveram dividir suas aventuras em um perfil no Instagram. Foi um sucesso: o Chefs na Quarentena foi criado em abril do ano passado e hoje tem 433 mil seguidores, trazendo diversas situações cômicas.

As amigas – quatro moradoras da cidade de São Paulo, uma nos Estados Unidos e outra na Espanha – eram todas profissionais atarefadas, sem muito tempo para se dedicar à cozinha. Mas, com o trabalho transferido para casa, além dos filhos por perto, começaram a arriscar receitas. Uma lasanha totalmente queimada foi mote para a primeira risada em grupo de mensagens. E depois vieram bolos que não cresceram, que cresceram demais, ou ainda tentativas de reproduzir receitas que no perfil dos outros eram lindas, mas que na prática resultavam em figuras esquisitas.

“Era um momento muito tenso, em março de 2020, quando mudamos totalmente nossa rotina em função da pandemia. Estávamos dando força uma para outra e compartilhar essas tentativas culinárias nos faziam rir muito. Então resolvemos criar o perfil no Instagram e publicar nossas aventuras. De repente, começamos a receber muitos conteúdos de seguidores, mostrando o pudim que deu errado, a panela fazendo barulhos estranhos, caldas queimando. As pessoas se identificaram conosco e passaram a mandar coisas”, conta uma das integrantes do Chefs na Quarentena, Adriana Armiliato.

Ela mesma passou por várias situações hilárias, como a tentativa de fazer chips de abobrinha em uma air fryer. “O problema não é o equipamento e sim a pecinha, aqui, na frente dele. E olha que tentei na semana passada de novo, e não rolou mesmo”, conta. Coisas da vida dos aspirantes a chef!

Outra amiga fez suspiros que, saídos do forno, criaram formas censuráveis. Ainda não faltaram pães de queijo que viraram pedras, bolos em formas mais variadas, pratos com cores e texturas que não atraem, ou panelas que entram em erupção com molhos. Os seguidores também contribuem, sem medo de mostrar o vexame culinário. “No nosso perfil, todo mundo pode colocar o que quiser, sem julgamento. E recebemos coisas muito engraçadas. Percebemos que quem mandou está dando rizada e se divertindo também. Quando são vídeos do momento de desinformar pudim, então. Sério, gente: pudim tem vida própria”, brinca Adriana.

Os vídeos sobre pudim são tão frequentes, que algumas tentativas foram reunidas em um Reels, ao fundo de Whitney Houston e a clássica “I Will Always Love You”. O vídeo, assistido por 390 mil pessoas, é finalizado com cenas emocionantes de tentativas que deram certo.

A avó revoltada porque a cocada não deu certo, os churros com recheio completamente derramado antes de ser consumido, ou a panqueca virada que pula para fora da frigideira são outros vídeos de sucesso. Outro sucesso de audiência são os posts que confrontam, lado a lado, a expectativa e a realidade: o famoso antes e depois.

Dentre os seguidores do Chefs na Quarentena que contribuem com conteúdo estão profissionais de patisserie que mostram para as Chefs da Quarentena que também erram, ou pessoas que fizeram cursos estrelados de gastronomia francesa e que colecionam resultados nada satisfatório. Dessa forma, o perfil “desgourmetiza o gourmet” e divide situações divertidas na cozinha. Mais informação: @chefsnaquarentena

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]