Prêmio Bom Gourmet 2018

Haus - Melhor Ambientação

Ambientação – Bar

Conheça o melhor ambiente de bar de Curitiba eleito pelo Prêmio Bom Gourmet 2018

por Bom Gourmet Publicado em 30/08/2018 às 22h
Compartilhe

30vencedores_22

ANANÃ COQUETÉIS

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Responsável pelo projeto: Y Arquitetura.

Inspirado no movimento de bares tiki dos anos 1940, o Ananã mescla o pensamento tropical, regional e artesanal, tanto na decoração quanto no cardápio. A ambientação tiki geralmente traz referências à cultura do exótico polinésio, mas no caso do Ananã, a ideia foi traduzida para o Brasil: na decoração, exalta-se o exótico brasileiro. Placas de compensado penduradas sob spots no teto permitem que a luz crie texturas de sombra nas paredes e também nos clientes. Com esse artifício, a sensação de quem frequenta o local é a de estar vestindo a mesma roupa do desconhecido que está ao seu lado, como se todos pertencessem à mesma “tribo”. No lugar de bancos e mesas, arquibancadas de tijolos de barro produzidos em uma indústria paranaense convidam os presentes à descontração. Dos tijolos da arquibancada até os balcões de inox de uso interno, todos os elementos do bar foram feitos sob medida. As paredes são em azul vinil, com algumas plantas ao fundo, criando um contraponto entre o quente e frio, plástico e rugoso, orgânico e artificial — alguns dos artifícios que consagraram o ambiente como vencedor na categoria.

Votos: Mauricio Noronha, Cristiano Ross, Ticiana Martinez, Orlando Busarello e Ana Brum. 

>> SAIBA MAIS SOBRE A CATEGORIA

>> VEJA TODOS OS VENCEDORES DO PRÊMIO BOM GOURMET 2018

 

Indicados

Foto: Eduardo Macarios

Foto: Eduardo Macarios

FLAME BAR

Responsável pelo projeto: Giuliano Marchiorato. 

Monocromático e aconchegante, o conceito arquitetônico do Flame Bar é baseado em sua cozinha, que traz elementos do barbecue norte-americano e sua picância. A ideia foi criar um ambiente com elementos que remetessem às chamas, brasas e cinzas. Nas paredes, revestimentos de tijolos e cimento pretos, que trazem o conceito de bar queimado. A madeira da movelaria também tem o efeito de carbonizada.

Voto: Marina Nessi e Zilda Fraletti. 

Confira o serviço completo.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

V. WINE BAR

Responsáveis pelo projeto: Ana Boscardin e Edgar Corsi (Studio Boscardin Corsi Arquitetura).

A proposta é mesclar a sofisticação do vinho com a descontração de um bar de rua. Contemporâneo e minimalista, o ambiente é formado basicamente por três elementos: cimento, cortiça e uma tubulação elétrica aparente e vermelha, que remete ao vinho. Um mezanino, cujo acesso se dá por uma escada que mistura concreto e metal, conta com cadeiras e poltronas pretas, enquanto o bar oferece outros assentos.

Voto: Orlando Ribeiro e Keiro Yamawaki. 

Confira o serviço completo.

Foto: Eduardo Macarios

Foto: Eduardo Macarios

BOTANIQUE . CAFÉ BAR PLANTAS

Responsáveis pelo projeto: Ana Sikorski e Katia Azevedo (Moca Life Arquitetura).

A arquitetura do Botanique une elementos típicos do estilo urban jungle, como a paleta de cores vivas e a presença de plantas por todo o espaço, a uma abordagem intimista, própria do estilo bohemian. Ao lado de uma primorosa seleção de móveis e objetos restaurados, garimpados em demolições e mercados de pulgas, estão objetos de design contemporâneo, tais como as luminárias, projetadas pelas próprias arquitetas.

Confira o serviço completo.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

CHICANO PUB LIBRE

Responsável pelo projeto: Escritório Solo Arquitetos.

Quebrando o paradigma do mexicano de bigode e sombrero, o bar traz na decoração o universo da Lucha Libre junto à releitura de diversos elementos da arquitetura mexicana. Entre eles destacam- -se a pintura de cal em cores chapadas, o uso do cimento queimado natural e pigmentado, além de blocos vazados, os cobogós, com padrão clássico, exclusivo do Chicano. A marcenaria em compensado naval é atrelada à cultura moderna dos grafites, guetos mexicanos e cultura pop da Lucha Libre.

Confira o serviço completo.

Foto: Nenad Radovanovic

Foto: Nenad Radovanovic

CHō STREET FOOD

Responsável pelo projeto: Guilherme Bez.

O projeto mescla modernidade e tradição, criando um retrato das grandes metrópoles orientais. Não faltam lanternas, espadas, gueixas e lutadores de sumô. Entre os destaques estão as paredes, que mostram grafites inspirados em mangás e animes japoneses, além de lambe-lambes originais feitos com jornais de países asiáticos. No balcão, dois mil hashis de madeira japoneses foram usados para criar uma superfície trançada, com efeito 3D. O espaço conta ainda com um fliperama japonês original dos anos 1990.

Confira o serviço completo.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

JAMBU BAR JARDIM

Responsável pelo projeto: Arquea Arquitetos.

O diferencial do Jambu é ter o quintal dos fundos como salão principal, trazendo um ar de casa para o entorno cheio de edifícios. O bar funciona em uma pequena casa de madeira dos anos 1950, na qual foi construída uma cobertura transparente em estrutura metálica nos fundos, para cobrir parte do espaço livre. A decoração é inspirada na cultura brasileira: plantas tropicais, cadeiras de praia e mesas de carretel finalizam o ambiente, deixando-o completamente familiar e descontraído.

Confira o serviço completo.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

LA CHAMPAGNERIA COCKTAIL BAR

Responsáveis pelo projeto: Diane Justus, Daniela Cerbatto e Vanessa Bianchi.

Para criar um ambiente intimista, o projeto conta com pontos de luz e peças em metal rosé gold contrapostas com madeira, responsável por passar a sensação de calor ao ambiente. O bar, bem iluminado, é feito todo em cobre e mármore branco, com as taças penduradas à mostra. Uma área vip, com uma parede de pedras, sofás e poltronas em couro, remete a uma cave. Já a área externa tem como elemento principal uma árvore, em volta da qual foi construída uma mesa, ponto de encontro dos clientes.

Confira o serviço completo.

Foto: Eduardo Macarios

Foto: Eduardo Macarios

RED LIGHT BURGER AND BEER

Responsável pelo projeto: Giuliano Marchiorato.

Inspirado nos bares europeus, a ideia era trazer a vibe de recôndito holandês para dentro de um espaço na capital paranaense. Para alcançar esse efeito, foi usada uma mistura de materiais, mobiliário e iluminação especial, toda em vermelho. O lavabo, por exemplo, é vermelho do piso ao teto. Os banheiros são totalmente pretos com luzes vermelhas — tudo para dar a sensação de que o cliente está no Red Light District, em Amsterdã.

Confira o serviço completo.

vencedores_50

Keiro Yamawaki  
O arquiteto é fã de tecnologia, cozinheiro e inventor nas horas vagas, aficionado por gadgets e superpai de três meninas. Atual presidente da AsBEA-PR, está à frente de duas empresas de arquitetura: a GaragePlan e a ArquiBusiness.
Cristiano Martini Ross   
Formado em administração de empresas, encontrou no garimpo e comercialização de peças de arte e design do século 19 e 20 o seu lugar no mundo. Assim, criou o Antiquário Cristiano Ross há 18 anos.
Ana Brum 
É designer e escolheu colaborar com sua profissão atuando nas políticas públicas e de gestão à frente da direção técnica do Centro Brasil Design. É apaixonada pela essência da gastronomia: a harmonia dos sabores, a identidade dos ingredientes e o seu resultado.
Zilda Fraletti  
Criadora da primeira galeria contemporânea de Curitiba há 34 anos, a psicóloga de formação se interessa pelo que envolve criatividade, cultura e convivência. Ama arquitetura, arte, cinema, dança, design, gastronomia, literatura, música e teatro.
Ticiana Martinez  
Apaixonada por design, arte, arquitetura e plantas. Curiosa, garimpeira de produtos, lugares e pessoas inspiradoras. Sua marca registrada: a inquietude. Desde 2016 vive a aventura de trazer à cidade produtos de criativos brasileiros em sua Ôda Design Club.
Orlando Busarello 
O arquiteto teve certeza da profissão que seguiria ainda nos anos 1960. Mais adiante conheceu a Escola Paulista, os arquitetos do CIAM e da Bauhaus. Tem interesse natural por arte e design e, à mesa, acredita que boa comida é sempre um prazer.
Orlando Pinto Ribeiro 
Arquiteto, professor universitário da UTFPR, investigador de cultura culinária popular, frequentador assíduo das feiras e eventos gastronômicos, amante da gastronomia urbana dos food trucks curitibanos e parceiro de HAUS no Movimento Reação Urbana.
Mauricio Noronha 
É sócio-fundador da Furf Design Studio, escritório premiado internacionalmente, destacado pelo design de qualidade temperado com inteligência, humor, sustentabilidade e responsabilidade social. É “magro de ruim”, acredita que sabor vai muito além do paladar.
Marina Nessi   
Diretora da Casa Cor Paraná, evento que organiza há 25 anos, a gaúcha adotou a capital paranaense e encontrou na arquitetura, decoração e na curiosidade pela gastronomia uma trilogia perfeita para se apaixonar e buscar novidades.

LEIA MAIS:

>> VEJA TODOS OS VENCEDORES DO PRÊMIO BOM GOURMET 2018

Compartilhe

8 recomendações para você