Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Passaporte vacina
A apresentação do passaporte da vacina em restaurantes é obrigado em países como Israel, Itália, França e na cidade de Nova York, nos Estados Unidos.| Foto: Bigstock

A discussão de implantar um “passaporte da vacina” contra a Covid-19 no Brasil já começou a ganhar corpo e discussões em diversas cidades, sendo que algumas tornaram a imunização obrigatória para o acesso a algumas atividades. Nesta quarta (1), começou a valer para os restaurantes, bares, lanchonetes e cafés de Guarulhos (SP).

Antes disso, São Paulo chegou a anunciar uma medida semelhante, mas reduziu o alcance e agora pede o passaporte apenas para o acesso a grandes eventos. Decisão parecida foi tomada no Rio de Janeiro, que abrange ainda os cinemas e pontos turísticos, entre outros, e em Florianópolis, que incluiu bares e hotéis na lista.

Já em Curitiba, a prefeitura criou o chamado “Check-in Seguro”, onde os clientes poderão escanear um QR Code na entrada dos estabelecimentos (incluindo restaurantes) para saber se alguma pessoa infectada pelo Sars-Cov-2 passou por ali. O passaporte obrigatório está descartado, pelo menos por enquanto.

Mas, chamou a atenção recentemente o anúncio da plataforma Yelp de permitir que restaurantes, bares, lanchonetes e cafés informem suas políticas de acesso a pessoas não vacinadas.

De acordo com o aplicativo de avaliações e reservas de mesas, os operadores poderão adicionar atributos como “prova de vacinação necessária” e “equipe totalmente vacinada”, e os usuários também podem filtrar por esses atributos ao procurar os estabelecimentos.

“Com a disseminação da variante Delta, estamos vendo um número crescente de empresas implementando novas medidas de saúde e segurança para manter seus funcionários e comunidades seguras”, disse um porta-voz do Yelp dos Estados Unidos em um comunicado.

As empresas também podem adicionar atributos às suas páginas se atualmente exigem máscaras de clientes e funcionários, ativando os recursos “máscaras necessárias” e “funcionários usam máscaras”.

Os novos atributos já são oferecidos nos países em que o Yelp está presente, inclusive no Brasil. No entanto, por aqui, uma busca feita pela reportagem não encontrou nenhum restaurante utilizando-os.

Remoção de ofensas

A plataforma afirmou que, nos Estados Unidos, tem recebido avaliações críticas incisivas de lugares que não adotam os protocolos necessários ou que obrigam a vacinação, mas diz ter medidas que protegem os restaurantes de feedbacks ofensivos dos clientes.

De acordo com o Yelp, mais de 4,5 mil avaliações já foram retiradas da plataforma por “bombardearem” um local com base na postura de vacinação em vez da qualidade do serviço, e outras quase 8 mil por críticas às regras de controle da Covid-19 nos estabelecimentos.

Yelp passaporte vacina
Tela da versão americana do Yelp, que já tem restaurantes utilizando os novos atributos.| divulgação/Yelp
Aplicativo Yelp
Enquanto que a versão brasileira já oferece as opções nos filtros de busca, mas não foram encontrados restaurantes utilizando-as.| reprodução/app Yelp

Em comunicado, a plataforma diz que vem monitorando as atitudes dos usuários também com relação a atributos como inclusão racial, de gênero e da população LGBTQ+, com a remoção de comentários ofensivos ou que denigrem os estabelecimentos.

Além de Nova York, a apresentação do passaporte da vacina em restaurantes é obrigatória também em países como Israel, Itália e França.

E no Brasil?

Por enquanto não há restaurantes brasileiros utilizando os novos atributos oferecidos pelo Yelp, apenas as orientações e controles de secretarias municipais de saúde. No entanto, um entendimento recente do Ministério Público do Trabalho (MPT) permite que bares, restaurantes e lanchonetes demitam os colaboradores que se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19.

A atitude é aprovada pela grande maioria das entidades representativas de classe, mas desde que com a apresentação da necessidade e benefícios da imunização aos funcionários.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]